ERGONOMIA NO BANHO E TOSA – AS LEGISLAÇÕES DA ANVISA – CONAMA E MTE NO CUMPRIMENTO LEGAL DO BANHO E TOSA

ERGONOMIA – A IMPORTÂNCIA DO ERGOPET KIT NO BANHO & TOSA

Faremos aqui uma apresentação resumida das legislações específicas e como minimizar o risco  ergonômico dos funcionários dos estabelecimentos de saúde animal.

Se tiver maior interesse em detalhes, entre em contato conosco.
vendas@mundoergonomiacom.br

ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE ANIMAL:

A quem compete a responsabilidade e quais as normas exigidas para esses estabelecimentos?

A responsabilidade é, sempre, em primeiro lugar, do proprietário do estabelecimento.

Quanto às normas, os EAS – Estabelecimentos de Atenção à Saúde, estão, entre outras leis,  sob a supervisão da ANVISA (RDC-306), Conselho Nacional de Meio Ambiente – CONAMA (358) e Ministério do Trabalho NR 32.

A RDC 306 e o CONAMA 358 dispõe sobre o Gerenciamento dos Resíduos produzidos ou a serem descartados desses estabelecimentos.

Desde a geração, até o tratamento e a disposição final deve ser verificada, gerenciada.
Qualquer que seja o tamanho do estabelecimento é obrigatório que se implante um programa onde se estuda todo o fluxo dos resíduos gerados pelo estabelecimento.

A NR32 preconiza os cuidados que se devem ter para cuidar da saúde de todos os profissionais que trabalham nesses estabelecimentos. Cada risco deve ser analisado a luz do profissional exposto. Este risco se minimiza através de medidas preventivas e treinamentos de conscientização.

Um dos riscos ambientais existentes nestes estabelecimentos é o esquecido e cada vez mais focado pela legislação, são os RISCOS ERGONÔMICOS e os Riscos Biológicos.

Os riscos ergonômicos são mais conhecidos pelas suas causas mais comuns: lombalgias, lesões da coluna, tendinites (LER – DORT) e fadiga e, por se tratar dos mais importantes, falaremos mais especificamente desses riscos ergonômicos.

Os profissionais do setor de Banho e Tosa e aqueles que manuseiam embalagens de ração e afins estão dentre os mais atingidos.

Lembramos que as patologias oriundas desses riscos são, na maioria das vezes, irreversíveis. Porem elas são previsíveis e facilmente anuladas com medidas relativamente simples.

Como diz a lei: É de responsabilidade do proprietário do estabelecimento fornecer as ferramentas e acessórios para minimizar os riscos aos quais seus profissionais estão expostos.

Com vistas a essa necessidade, foi adaptado e aperfeiçoado, técnicas e produtos originados nos EUA, que consiste em treinamento associado a um produto, o cinto abdominal lombar, altamente indicados aos estabelecimentos que contemplam Banho & Tosa e manuseio de cargas e aos profissionais dos serviços de manutenção objetivando minimizar e prevenir os riscos ergonômicos.  No caso específico dos profissionais de Banho & Tosa, foi desenvolvido o KIT ERGOPET.

O programa de prevenção, denominado Coluna Segura, baseado na ergonomia de conscientização, é vital para trabalhadores que puxam, carregam, ficam de pé, e exercem funções que exijam uma postura crítica nos locais de trabalho.

É importante frizar que, não basta se utilizar um produto ou treinamento qualquer. Ambos devem apresentar um “laudo ergonômico”, assinado por um profissional competente, pois caso haja algum problema de ordem jurídica, esse profissional deverá ter embasamento e conhecimento técnico para responder sobre o produto e treinamento oferecido ao trabalhador.

Os norte americanos investem milhões de dólares em ergonomia, muito além das prescrições normativas. Levando em conta que os irmãos do norte não costumam queimar dinheiro, a descoberta é fascinante: Eles descobriram que o trabalhador menos fadigado, sem dores nas costas ou nos braços-punhos, treinando para se cuidar nas atividades até fora do trabalho, tripé da ergonomia, produz mais, se ausenta menos, os riscos de indenizações vultosas caem. Em outras palavras, o investimento tem retorno. Custo é para ser diminuído ou cortado. Investimento deve ser avaliado o retorno. Pensem nisso!

Saiba, agora, um pouco sobre o ERGOPET e suas aplicações e recomendações.
O ERGOPET contempla laudo ergonômico – desde que produzido corretamente.

“A IMPORTÂNCIA DO ERGOPET KIT NO BANHO & TOSA”

A – Introdução:  Fatos sobre a Coluna Vertebral:

A grande maioria dos problemas de coluna não são o resultado de um evento ou causa isolada! As lesões de coluna geralmente advêm de vários fatores relacionados com a nossa condição física, estilo de vida e método de trabalho.

Cerca de 8 em 10 pessoas experimentam dores sérias e incapacitantes nas costas pelo menos uma vez na vida. Aos 50 anos, aproximadamente 90% da população já apresenta uma deterioração significativa na coluna lombar!

Os problemas de coluna representam um enorme fardo para a economia.

Nos Estados Unidos, custam às empresas mais de 60 bilhões de dólares por ano em despesas médicas e afastamento do trabalho!

A cirurgia de coluna não melhora o problema de coluna do paciente. De fato, muitos especialistas são da opinião que as cirurgias de coluna que fracassam sejam uma das principais causas de dor aguda grave e incapacitante das costas. Quase todo cirurgião competente admitirá que apenas se deve recorrer à cirurgia de coluna em último caso!

O declínio da boa condição física pode ser relacionado à maioria dos problemas de saúde de hoje em dia. É hora de mudarmos e de cuidarmos do nosso tesouro mais precioso: nossa saúde!

As técnicas apresentadas neste programa de treinamento, de fato, evitarão a ocorrência de problemas de coluna e melhorarão seu estado de saúde se você se dispuser a usá-las!

B – Principais Pontos na Prevenção de Lesões de Coluna:

1. Consciência do Fato
2. Projeto Ergonômico Adequado do Local de Trabalho
3. Posicionamento Neutro da Coluna
4. Corrigir Posturas Desajeitadas que Possam Forçar a Coluna
5. Estabilização Lombar durante o Levantamento e o Manuseio de Materiais

1. Consciência do Fato
Muitos trabalhadores concentram-se tanto no que estão fazendo, ao trabalhar ou executar outras atividades do dia-a-dia que, negligenciam totalmente os seus próprios corpos. Ao tomar consciência dos efeitos malignos da postura incorreta e da mecânica do corpo em relação à coluna, o trabalhador pode evitar o estresse através de técnicas de posicionamento adequado e de correção de posturas desajeitadas.

2. Projeto Ergonômico Adequado do Local de Trabalho.
A ergonomia é o estudo científico do indivíduo e de seu meio-ambiente.
A análise ergonômica do local de trabalho geralmente é realizada com o objetivo de modificar o ambiente, equipamento e/ou instrumentos para aprimorar as condições de segurança e/ou eficiência no desempenho do trabalho.

3. Técnicas de Posicionamento da Coluna
– a. Jamais trabalhe com a coluna arqueada ou estando a parte superior do corpo sem apoio (por exemplo, curvado a partir da cintura)!
– b. Ao executar algum trabalho em pontos mais baixos, ajoelhe-se ou agache-se para manter a coluna em uma posição neutra. (Nota: A coluna vertebral é constituída de 24 ossos denominados de vértebras e forma uma curva em forma de S quando vista de lado. A curva da coluna lombar para dentro representa a posição NEUTRA, uma posição de resistência máxima, que depende da força dos músculos dorsais e abdominais!)
– c. Ao trabalhar, posicione os objetos na altura da cintura. Assim evitará a tentação de dobrar o corpo na cintura.

4. Técnicas de Correção de Postura
– a. Lembre-se: Evite flexionar a espinha! O flexionamento da coluna lombar aumenta a pressão dos discos e força o fluído interno da coluna contra a parede posterior e mais fina dos discos. Isto é o que ocorre quando estamos sentados!
– b. Corrija o aumento da pressão contra os discos realizando exercícios de alongamento dorsal periodicamente. Desse modo, o fluído interno da coluna (núcleo) será movimentado para a frente, contra a parede dianteira e mais espessa do disco, melhorando o intercâmbio de fluído e sua nutrição!
– c. Sempre que possível, alivie a pressão sobre os discos transferindo o peso da parte superior de seu corpo para o(s) seu(s) braço(s) ou apoiando a mesma sobre um suporte enquanto usa as mãos.
– d. Sempre evite permanecer sentado por muito tempo. Use almofadas de apoio lombar para manter a coluna lombar em sua curva natural para dentro. E, o mais importante, movimente sempre a área lombar para alimentar os discos da coluna.
– e. Estabilização Lombar durante o levantamento e o manuseio de materiais (no caso animais!!!)

Estudar a mudança de função ou atividade caso a insatisfação pessoal com seu trabalho lhe traga sofrimento

C- Orientações para as empresas:

– Tentar impedir aumentos súbitos no ritmo de trabalho

– Evitar que as tarefas ultrapassem a capacidade dos funcionários

– Treinar os funcionários a realizar as tarefas de forma ergonomicamente correta

– Realizar análises ergonômicas e implementar melhorias na rotina de execução das tarefas e dos postos de trabalho

– Formar comitês de pessoal com formação em ergonomia capacitados para a implementação de mudanças na empresa

– Procurar saber os motivos de insatisfações e problemas apresentados pelos empregados

– Demonstrar abertura para que empregados insatisfeitos com sua atividade possam experimentar uma troca de função

Fonte de texto: Richard W. Bunch, Ph.D., P.T. – Presidente do ISR
Institute Inc. e Professor Adjunto Clínico no Centro Médico da L.S.U –USA

D – O que é o KIT ERGOPET:

O KIT ERGOPET é um kit que foi idealizado pelo eng. de Segurança , especialista em Ergonomia, Osny Telles Orselli após várias pesquisas e trabalhos de campo em clinicas veterinárias.

Esse kit foi desenvolvido para proteção do trabalhador  de Banho e Tosa com vistas aos riscos Físicos, Biológicos, Químicos e, principalmente, ergonômicos.

O KIT ERGOPET é composto de:
Um ERGOBAG – cinto abdominal lombar devidamente adaptado à ergonomia da função, composto com um avental de tecido resistente que contempla alças e bolsos para guardar os acessórios para a tarefa ( escova, alicate, tesoura, pente, etc )

Um par de luvas de procedimento

Protetor auricular para a devida proteção auditiva

Uma máscara filtro para a devida proteção respiratória ( nariz e boca )

O mais importante não apenas fornecer o kit para o funcionário, é fazer com que esse funcionário realmente entenda o porque de usar esses sistemas de proteção.

Uma munhequira tipo “LITE” (proteção à manipulação)

IMPORTANTE:
1- O funcionário deverá estar consciente de que, nas pequenas ações estão as grandes reações e que a é muito melhor prevenir do que remediar e mais ainda, infelizmente, os danos causados por riscos ergonômicos quase sempre são irremediáveis.

2- O material e a proscedência do cinto lombar e da munhequeira LITE devem atender, rigorosamente, às especificações de fabricação e o controle de qualidade da “Color Flex” pois o uso de materias inadequados são extremamente prejudiciais  colocando a saúde do profissional a um maior risco ergonômico.

Osny Telles Orselli
Coordenador da equipe de ergonomia
www.cmqv.org
www.mundoergonomiacom.br

CONTATO – vendas@mundoergonomia.com.br

*exija o laudo de qualidade especificado e assinado por um ergonomista pois da credibilidade e do conhecimento desse profissional dependerá a sua segurança e a de seu funcionário  – CMQV coordenação de qualidade.