14/12/2013 – COMO FICAR HORAS DIANTE DE UM COMPUTADOR PRESERVANDO SUA SAÚDE
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

14/12/2013 – COMO FICAR HORAS DIANTE DE UM COMPUTADOR PRESERVANDO SUA SAÚDE

O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA FICAR HORAS DIANTE DE UM COMPUTADOR PRESERVANDO SUA SAÚDE E MANTER O MÁXIMO DE PRODUTIVIDADE

Hoje em dia, cada vez mais usuários ficam “plugados” diante deste instrumento indispensável.

Nas escolas, nas empresas, em casa, nos cyber cafés, o número de pessoa que ficam horas diante do computador aumenta mais, cada dia.

Ao mesmo tempo, no mundo todo, registra-se aumento alarmante de doenças ocupacionais chamadas músculo-esqueléticas, dentre as quais se destacam as tendinites (LER- DORT) e lombalgias. Alem disso, quase 100 % dos usuários se queixam de dores nas costas. As mesmas patologias podem ser adquiridas em atividades estudantis, lazer, pesquisa, apenas não chamadas de LER DORT.

Nosso país não tem tradição prevencionista e isso piora as coisas, pois é com prevenção e ergonomia que se faz a coisa certa.

Exercícios de aquecimento e de alongamento e os conselhos super resumidos abaixo podem reduzir significativamente a incidência desses problemas.

Aqui vão alguns conselhos úteis de prevenção quando estiver diante de um computador:

    • Mantenha a cabeça na posição vertical, com o pescoço relaxado.
    • Suas costas devem estar retas ou ligeiramente inclinadas para frente, mantendo a curvatura natural da coluna lombar.
    • Use uma cadeira verdadeiramente ergonômica.
    • Os cotovelos devem situar-se em um ângulo reto, confortável, com os antebraços em posição paralela em relação ao solo.
    • Evite reflexos no antigo monitor de vidro ou os notebooks com tela LCD com proteção de vidro, com iluminação indireta. Aqueles em LCD não protegidos por vidro, não precisam de proteção.
    • A parte superior da tela do seu monitor deverá estar ao nível dos olhos e a uma distância equivalente ao comprimento do braço estendido. Quando usar um note book, transforme-o em monitor através de dispositivos ergonômicos e use um teclado e mouse separados.
    • Os punhos devem estar descontraídos e confortáveis, sem flexionamento perceptível.
    • Posicione o teclado no mesmo nível dos cotovelos. Use um descanso para o punho no teclado de no mínimo8,5 cmde largura, de espuma de poliuretano ou gel revestido. Use um mouse pad com descanso para o punho principalmente se V. trabalha com CAD.
    • Se desejar experimente um acessório ergonômico tipo “arm rest” para suportar o antebraço/braço.
    • Mantenha os pés inteiramente apoiados sobre o piso. Use um descansa-pés de preferência móvel, leve, facilmente posicionado e que não escorregue no piso.
    • Conheça a limitação de seu corpo, mude de posição com freqüência e faça intervalos periódicos (a cada 55 minutos) para caminhar ou “esticar o corpo”. Utilize e divulgue a Ginástica do Gato. É grátis e divertida. Basta procura-la no Google.
    • Faça de seu local de trabalho um local agradável. Não fique tenso.
    • Não se dependure nos ônibus, não fique em filas sem apoio, não use água fria e mantenha sua boa postura em todas as ocasiões!

E não se esqueça de alguns conselhos básicos ao projetar um ambiente de trabalho: Superfícies de trabalho pequenas para evitar que o usuário se estique à toa. CPU no solo ou sob a mesa a fim de não ocupar espaço vital (e caro) de trabalho. Monitor sobre braço articulável para V. aproveitar o espaço sob o mesmo. Se puder, adote um bureau/mesa de altura regulável manual ou motorizada (quanto menor, mais econômico). Organize seu ambiente de trabalho que deve ser silencioso. Se copia textos, use um facilitador de leitura para não flexionar demais o pescoço. Finalmente, não use talas rígidas para o punho; suportes de punho sem tala, leves, de elástico ou de neoprene esportivo antialérgico, flexíveis, podem ajudar.

Ao menor sinal de dor, formigamento ou fadiga no seu punho, braço ou ombro, consulte imediatamente seu médico. As LERs são implacáveis!!

Quanto a escolha da sua  Cadeira: Lembre-se que uma cadeira pode ser bonita, chique, elegante, mas precisa ser ergonômica, e mecanicamente correta. Devem atender às normas da ABNT (NBR 13 962 NOV 2002) e NR 17, mas isso não é o bastante.

Super resumo de uma boa cadeira giratória para se digitar: Espuma injetada com densidade controlada ponto a ponto, mínimo 45 kg/m3 e testes de durabilidade, bordas arredondadas de grande raio (evita má circulação nas coxas); assento com 46 cm X 46 cm, espaldar pequeno ou com protuberância na lombar com mecanismo de contato permanente da lombar e regulagem de altura, chamado no mercado de mecanismo Back II; revestimento 100 % poliéster ou 100 % lã (crepe de lã não esquenta), ou 100 % couro natural micro perfurado, mas os de tecido com de trama fina e sem emendas.  Deve-se evitar revestimento fixado à sua estrutura por grampos. Há ótimas cadeiras com espaldar em tela, mas é necessario cuidado com a origem.

Regulagem de altura do assento por Pistão a gás DIN classe mínima 3 ideal 4. Bases com cinco patas de aço testadas com carga de 800 kg revestidas de capa de polipropileno ou injetadas em uma só peça em Nylon 6 com fibra de vidro injetadas em uma peça só. Ou injetadas em alumínio. Rodízios ou deslizadores de Nylon (Diâmetro 50 mm) diferentes em função do piso: Carpete ou piso frio/carpete de madeira.  Apóia braços devem ter regulagem de altura e devem, literalmente, sustentar os antebraços, com largura (mínimo80 mm), e comprimento (250 mm).  Regulagem da largura entre os apóia braços para os mais fortinhos (Parece óbvio, mas a maioria dos apóia braços não apóia os antebraços!). Há cadeiras brasileiras com garantia de cinco/seis anos. Quem garante mais de cinco anos, desconfie, exceto algumas cadeiras inteligentes americanas que dão 10 anos.

É bom lembrar que uma boa parte dos conselhos acima vale tambem para cadeiras para treinamento, escolas, salas de espera, cadeiras fixas tipo longarinas, de consultórios, auditórios e para hotéis, hospitais, clínicas, linhas de produção, altas, super altas, baixas, super baixas com assentos injetados em poliuretano para ambientes limpos, etc. Não esquecer que há cadeiras ergonômicas similares para obesidade e nanismo.

Osny Telles Orselli

Engenheiro Mecânico e de Segurança do Trabalho. Professor e Consultor em ergonomia. osny@mundoergonomia.com.br

A ginástica do gato pode ser vista e copiada através dos websites www.mundoergonomia.com.br & www.cmqv.org e no Google.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *