Comentário sobre artigo
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Comentário sobre artigo

A China divulgou pela primeira vez um aumento de pessoas com testes positivos para o novo coronavírus

Artigo comentado para conhecimento  esclarecimento de todos. Acreditamos que seja necessário mais informações técnicas para a população. Permanecemos a disposição para mais informações TÉCNICAS.

Célia Wada

A China divulgou pela primeira vez um aumento de pessoas com testes positivos para o novo coronavírus, sem sinais externos de estar doente, revelando que aqueles entre eles que permanecem livres de sintomas durante a infecção estão na maioria.

Entre 6.764 pessoas que testaram positivo para infecção sem apresentar sintomas, apenas um quinto delas – 1.297 – desenvolveram sintomas até agora e foram reclassificadas como casos confirmados, disse o porta-voz da Comissão Nacional de Saúde da China, Mi Feng, em um briefing em Pequim na quarta-feira. .

Cerca de 1.023 ainda estão sendo monitorados em quarentena médica para ver se eles desenvolvem sintomas. O restante – 4.444 – recebeu alta da observação médica após se recuperar do vírus.

O fenômeno da transmissão assintomática é uma característica intrigante do vírus, que permitiu que a pandemia se espalhe mais ampla e rapidamente do que os surtos anteriores. Enquanto os pesquisadores pensavam anteriormente que a maioria dos pacientes acaba desenvolvendo sintomas, a indicação dos dados da China de que um grupo considerável permanece livre de sintomas durante a infecção ressalta o desafio de conter a crescente pandemia.

*Não é intrigante – é normal nos vírus das famílias dos Coronavirus, *não há NADA de INTRIGANTE, é uma característica normal dessa família assim como de todos os vírus respiratórios. Pode ser verificado em uma simples aula sobre o tema. 01-Histórico-conceituação-e-classificação-de-coronavírus.-Dr.-Luiz-Gustavo-Bentim-Góes

Os pesquisadores ainda estão lutando para entender os casos assintomáticos: existe a possibilidade de os pacientes que parecem estar livres de sintomas estarem apenas manifestando sintomas que os médicos ainda não sabem procurar. Durante meses, a febre e a tosse seca foram os principais marcadores da doença, e só recentemente surgiu que a perda de olfato e paladar também é um sinal de infecção. A China não divulgou a gama de sintomas que procura.

*Essa não é posição de infectologistas pois esses sintomas são comuns no dia a dia das pessoas. Muitas pessoas tem mal estar, corisa, desanimo, e geralmente tudo artibuido a Coronavirus, Adenovírus, Orthomixovius, Parvovirus, Coxsackies, Rinovirus etc. As pessoas precisam enteder que TODOS esses leves sintomas é, geralmente, por ação viral e passam da mesma forma que chegam, tudo dependendo da situação imunológica da pessoa e aí que está a grande diferença. Diferença essa que pode ser, para a mesma pessoa, diferente em questão de horas…

A China continua a detectar infecções assintomáticas, mesmo depois que novos casos confirmados caíram para zero pela primeira vez em março. O vírus, que surgiu na cidade de Wuhan, no centro da China, em dezembro passado, oficialmente adoeceu cerca de 82.000 e matou mais de 3.000 no país.

*O vírus foi detectado nessa cidade, o vírus não “surge” a não ser que seja fabricado em laboratório. Cada vírus tem sua reserva natural ou seja, um hospedeiro que, no caso desse CVID19 é o morcego.

Compreender o nível de imunidade viral em sobreviventes do Covid-19 será essencial para a tomada de decisões sobre como e quando suspender as restrições. Testes que medem anticorpos para o vírus têm sido apontados como uma parte importante dos esforços para reiniciar a economia e levar as pessoas ao trabalho. O estado de Nova York aprovou um teste de anticorpos e planeja usá-lo amplamente. Anthony Fauci, o principal especialista em doenças infecciosas dos EUA, sugeriu um futuro em que “certificados de imunidade” seriam necessários para os trabalhadores que retornam.

*Compreender o nível de imunidade é extremamente fácil e todos os imunilogistas sabem como proceder. É realizado o acompanhamento dos IgM, depois IgG e formação de linfócitos de memória. Pode ser realizado acompanhamento. Os linfócitos OKT4 + e OKT8 + T produzem fatores solúveis que podem modular o crescimento e a diferenciação das células B humanas.  Pesquisando CD3-4-8 ou OKT3-4-8, OKT4/OKT8, subpopulações de linfócitos pode se ter a resposta á essa questão. Exame simples. Sangue heparinizado. Volume mínimo: 10,0 mL. Sangue EDTA. Volume mínimo: 3,0 mL (para série branca). Imunofluorescência indireta, utilizando-se anticorpos monoclonais murinos específicos para cada subpopulação e conjugado fluorescente anti-Ig de camundongo. Detalhes técnicos não vem ao caso, apenas queremos deixar claro que não é NADA DE NOVO!

Mas todas essas idéias podem estar se adiantando. Os pesquisadores primeiro precisam responder a duas perguntas principais: por quanto tempo os anticorpos contra a SARS-CoV-2 permanecem no corpo e por quanto tempo eles impedem a reinfecção, se é que existem? 

*SE OS AUTO ANTICORPOS NÃO PROTEGEM, A VACINA TAMBÉM NÃO PROTEGERÁ. O problema pode ser resolvido através do soro anti COVID19. Da mesma forma que não temos anticorpos contra veneno de cobra mas temos soro antiofídico…

Rutherford disse que idealmente, o SARS-CoV-2 será semelhante a vírus como o da rubeola, que causa sarampo e desencadeia imunidade por toda a vida. 

Nesse cenário, o vírus acabaria parando de se espalhar – o que é conhecido como imunidade de rebanho. 

*Consideramos essa afirmação sem nenhum nexo causal e epidemiológico:

Em primeiro lugar, são colocações erradas. O vírus da rubeola não causa sarampo. Segundo, precipitadas e sem termo de comparações. Outra coisa, a rubéola não é uma imunização rebanho, é uma imunização passiva, não rebanho.

Imunidade rebanho não é espalhamento do vírus. Imunização rebanho é quando um grupo está imune e faz uma barreira de proteção (podemos esclarecer em outra oportunidade)

A rubéola é uma doença exantemática aguda, de etiologia viral, que apresenta alta contagiosidade. O vírus da rubéola pertence ao gênero Rubivírus, da família Togaviridae. O único reservatório conhecido é o homem. Interessante saber que crianças com rubéola congênita podem eliminar o vírus por período superior a 1 ano. A transmissão é maior nos primeiros meses de vida. Até os três meses de idade todas devem ser consideradas contagiantes. A imunidade passiva é adquirida pelos anticorpos maternos e a imunidade ativa pela infecção natural ou por vacinação. Filhos de mães imunes, geralmente, permanecem protegidos pelos anticorpos maternos durante os primeiros 6 a 9 meses de vida. A imunidade ativa é duradoura e acredita-se que permaneça por toda a vida. É um vírus NÃO MUTANTE, daí a validade da vacina.

Não Afeta vias respiratórias. A doença caracteriza-se por exantema maculopapular e puntiforme difuso, que se inicia na face, couro cabeludo e pescoço e se espalha, posteriormente, para todo corpo. A vacina da Rubéola tem nossa indicação em todas as mulheres que pretendem engravidar. Caso não queira tomar a vacina, basta fazer uma sorologia (IgG) para rubéola, sendo positiva, indica imunidade PARA TODA A VIDA! Como podem ver, NADA semelhante ao Coronavirus.

#Vaidemascara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *