/
/
ADEQUAÇÃO LEGAL OBRIGATÓRIA DOS SUPERMERCADOS – ESTUDO DE CASO
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

ADEQUAÇÃO LEGAL OBRIGATÓRIA DOS SUPERMERCADOS – ESTUDO DE CASO

É com imenso prazer e satisfação que, atendendo a várias solicitações, estamos enviando esta notícia antecipando nosso evento de novembro, além de apresentarmos nossos produtos e serviços, informarmos da grande admiração que temos no segmento de Supermercados dada a sua extrema participação em nosso dia a dia e no dia a dia de toda comunidade.

Estamos selecionando um Supermercado para implantarmos nosso sistema de gerenciamento e orientação, totalmente gratuito para nosso “estudo de caso”.

Em breve enviaremos o convite oficial.

Mais uma vez, pedimos licença para nos apresentarmos e colocarmos nossos serviços  e produtos á disposição de sua entidade, certos de podermos auxiliá-los em muitos dos segmentos de nossa especialidade.

Somos um grupo de empresas, multidisciplinares voltados a Saúde x Meio Ambiente X Segurança do Trabalho x Ergonomia e Responsabilidade Social e temos um foco especial direcionado aos SUPERMERCADOS.

Temos todos os produtos e serviços voltados a adequação INTEGRAL de seu SUPERMERCADO. Atuamos de forma individual ou corporativa, implantando, orientando e adequando os estabelecimentos dentro das normas da ANVISA, Meio Ambiente e Ministério do Trabalho.

Desde a venda correta, certificada e orientada de produtos como por exemplo cadeiras para de Checkouts, em conformidade com o Anexo I da NR17, até a elaboração completa de  projetos para adequação total perante ANVISA, Meio Ambiente e Ministério do Trabalho.

Através das várias empresas que compõe nosso grupo, prestamos assessoria e consultoria para orientação de toda essa adequação ambiental x sanitária e segurança do trabalho, desde os projetos inicias, ás compras dos equipamentos em conformidade legais, até a realização dos treinamentos exigidos pelas normas de segurança do trabalho.

Atuamos no Brasil todo diretamente na área Sanitária, Ambiental, Trabalhista, Jurídica e na área de Ergonomia, através de uma de nossas empresas criadas há mais de 25 anos com produtos e serviços especializados na área de Supermercados, atendendo, rigorosamente  a TODAS as exigências contidas no Anexo II da NR17 e demais NRs.

Do Licenciamento Ambiental, ao cumprimento ás normas da Vigilância Sanitária e do Ministério do trabalho, todas essas exigências fazem parte de nosso escopo de consultoria e assessoria especializado. Esse suporte é realizado através de nossos profissionais habilitados e especialistas em cada segmento, das empresas do grupo, de nosso departamento jurídico e de toda infra estrutura técnica internacional.

Desenvolvemos prodtos especiais para atender qualquer que seja sua necessidade.

Nosso corpo jurídico, sanitário e nossa engenharia de processos, altamente especializada em Ergonomia traz a empresa a tranqüilidade necessária para execução de seu trabalho junto ao colaborador e ao público em geral. Fornecemos acompanhamento  jurídico  processual e pericial para nossos clientes.

Todo esse trabalho faz parte de uma Assessoria integrada para prevenção ao Risco – GIR – Gestão Integrada de Risco.

Estamos elaborando o “Manual de Sustentabilidade para os Supermercados” – Guia de Boas Práticas

“O profissional certo, na hora certa com o equipamento certo e treinado de forma certa de acordo com as exigências legais – isso é CONFORMIDADE”

Caso seja seu interesse, podemos  de agendar uma visita em seu  site em São Paulo, Jacareí , São José dos Campos ou qualquer outra localidade no Brasil para mais detalhes e melhor apresentação de nossa  plataforma de produtos e serviços.

Nos colocamos a disposição para mais informações e aguardamos um retorno, qualquer que seja a diretriz esperada.

Fale conosco e explicaremos detalhadamente nosso projeto

Dra. Célia Wada

Coordenação de projetos

ASSESSORIA INTEGRAL  – GIR – GESTÃO INTEGRADA DE RISCOS

Consultoria e assessoria para implantação da GESTÃO INTEGRADA DE RISCOS – GIR

A GIR – Gestão Integrada de Riscos  tem a finalidade de orientar a empresa e a todos os seus departamentos de forma integrada ao cumprimento das exigências legais e a melhoria de suas atividades através de orientação técnica – jurídica e a montagem dos indicadores compartilhados, além de colaborar de forma significativa na orientação das políticas públicas e administrativas de forma sustentável, de acordo com as exigências legais.

GIR – GESTÃO INTEGRADA DE RISCO

OBJETIVO:  SUPORTE  TÉCNICO x GERENCIAL x OPERACIONAL x LEGAL

ESCOPO BÁSICO DA GIR

Elaboração do Laudo Ambiental  que corresponde a verificação de todas as vertentes de risco x legislações pertinente,m conforme escopo abaixo detalhado

Banco de informações para:

 

  • Laudo de Insalubridade – MTE
  • Apuração do Adicional Insalubridade
  • LTCAT – INSS – Condições Ambientais
  • PPP – Aposentadoria especial
  • PCMSO
  • NR17 ESPECIFICAMENTE
  • AET – Análise Ergonômica do Trabalho
  • Base de apoio para formatação do LA:
  • PPRA

Suporte á:

  • Processos Trabalhistas
  •  Licença Ambiental
  • Alvará de funcionamento
  • Controle de documentos
  • Adequação á Política nacional de Resíduos Sólidos

Equipe multidisciplinar para elaboração da GIR

 

    • SESMT – Seg. e Med. do Trabalho

 

    • CCIH – Comissão de Controle de Infecção Hospitalar.

 

    • CIPA

 

    • CVS

 

    • RH

 

     

    Escopo de atuação do GIR

    Apoio à formatação, implantação, adequação e controle:

     

    1. PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
    • LAUDOS – AMBIENTAL / ERGONÔMICOFases:
    • Reconhecimento.
    • Identificação.
    • Localização.
    • Classificação.
    • Implantação.

     

    2.   Estudo dos Locais de Trabalho

     

     

      • Caracterização do tipo de serviço do estabelecimento e setores.

     

      • Descrição geral e setorial dos ambientes de trabalho.

     

      • Processos Setoriais

     

       

      3.   Informações dos processos de trabalho:

       

       

        • Detalhamento dos Processos

       

        • Procedimentos e controles

       

        • Equipamentos utilizados

       

        • Levantamento de Riscos

       

         

        4.        Características dos setores e atividades.

         

        Relação dos Riscos Ergonômicos Locais

         

         

          • Identificação das fontes de exposição

         

          • Identificação das condições físicas – calor – temperatura – umidade, iluminação

         

          • Identificação e adequação das atividades de Chekout – Anexo I da NR17

         

          • Identificação e adequação das atividades de cargas e descargas – NR17

         

          • Atividades de risco em geral

         

           

          Relação de riscos biológicos predominantes por setor.

           

           

            • Identificação das fontes de exposição e reservatórios.

           

            • Transmissibilidade –   Agente, hospedeiro e reservatório

           

            • Análise dos Riscos  – Patogenicidade e virulência do agente infeccioso.

           

            • Vias de transmissão e de entrada.

           

            • Fonte –  hospedeiro (dir./ind.)

           

            • Persistência do agente biológico no ambiente.

           

            • Dados epidemiológicos e estatísticos

           

            • Informações científicas.

           

            • Atividades x Riscos

           

            • Análise das atividades por função / setor / riscos ocupacionais:

           

            • Avaliação da intensidade dos riscos.

           

            • Qualificação e classificação dos riscos Níveis de Biossegurança.

           

            • Análise da Exposição

           

            • Análise dos levantamentos risco x tempo

           

            • Existe risco? Foi qualificado?

           

            • Qual o tempo de exposição?

           

            • Eventual.

           

            • Intermitente.

           

            • Continuo / Permanente.

           

            • Medidas de Controle e Meios de Proteção

           

            • Barreiras e Dispositivos.

           

            • EPI + EPC + Vestimentas.

           

            • Higiene local trabalho e pessoal – precaução padrão.

           

            • Vacinação.

           

            • Monitoramento periódico

           

            • POPs – Procedimentos Operacionais Padrões.

           

             

            Relação de outros riscos

             

            5.    Medidas de Controle

             

             

              • Indicadores Setoriais:

             

              • Acidentes + SCIH + doenças ocupacionais

             

              • Ação Integrada:

             

              • Novos Colaboradores – Integração.

             

              • Educação Continuada

             

              • Segurança e Medicina do Trabalho.

             

              • Cipa + Biossegurança.

             

              • Vetores x Zoonoses x Controle de pragas

             

               

              6.   Apoio e controle da elaboração do MAPA DE RISCOS

               

               

                • Mapeamento Geral

               

                • Riscos Biológicos.

               

                • Representação Gráfica.

               

                • Reunir, Trocar e divulgar informações.

               

                • Mapa de Riscos Setoriais

               

                 

                7.   Apoio de RH

                 

                 

                  • Relação Colaboradores.

                 

                  • Reconhecimento dos Riscos por N.B.S.

                 

                  • Áreas de risco e controles

                 

                  • Padronização de Simbologia / Cores

                 

                   

                  8.      Apoio Administrativo Financeiro

                   

                   

                    • Criação setorial de Indicadores

                   

                    • Análise estatística de perdas

                   

                    • Análise de curva de orçamentos custo / paciente/dia

                   

                     

                    9.      Complementação:

                     

                     

                      • Atendimento via radio

                     

                      • Suporte a banco de dados

                     

                      • Supor a padronização de compras

                     

                      • Suporte a treinamentos obrigatórios

                     

                      • Criação da Comitê de gestão de Risco – COGIR

                     

                      • Mapeamento de controle de perdas

                     

                      • Mapeamento de satisfação dos usuários – Cliente Satisfação

                     

                       

                      10.    Fornecimento de todos os produtos da linha Ergonômica e mobiliários ergonômicos (cadeiras, apoio para os pés, cintos de proteção lombar, etc) em conformidade com o anexo I da NR17 .

                       

                      *TODO TRABALHO EXECUTADO MEDIANTE CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO

                       

                      *EMISSÃO DE LAUDO PROVISÓRIO AMBIENTAL DURANTE O DECORRER DOS TRABALHOS

                       

                      Breve introdução ao tema proposto – CRIAÇÃO DO COGIR – Comitê de Gestão Integrada de Riscos

                       

                      Ao fomentarmos a GIR na empresa propomos e orientamos a criação do COGIR entre os profissionais da empresa.

                       

                      A SUSTENTABILIDADE de qualquer processo depende da satisfação de suas partes interessadas e por isso é necessário assegurar que suas expectativas e necessidades sejam conhecidas e consideradas pelos gestores.

                       

                      De modo geral, essas expectativas envolvem satisfação de necessidades, cumprimento legal, compensação financeira e comportamento ético de todas as partes envolvidas.

                       

                      Cada interveniente ou grupo de intervenientes representa um determinado tipo de interesse no processo. De maneira mais ampla, compreende a participação, mesmo que indireta, de todas as partes envolvidas nesse processo.

                       

                      Todo processo apresenta riscos.

                       

                      A minimização desses riscos faz parte da cadeia de satisfação do processo.

                       

                      O envolvimento de todos os intervenientes não maximiza obrigatoriamente o processo, mas permite achar conhecer os riscos e estabelecer um equilíbrio de forças para minimizar riscos e impactos negativos em todo “ciclo de vida” desse processo.

                       

                      Uma organização que pretende ter uma existência SUSTENTÁVEL (estável e duradoura) deve atender simultaneamente as necessidades de todas as suas partes interessadas, conhecer seus riscos e estabelecer critérios e controles de processo em uma ação conjunta integrada.

                       

                      Essa ação integrada “gera valor” ao processo.

                       

                      A análise da SUSTENTABILIDADE de um processo corresponde a análise circular, fechada de todo o ciclo de vida desse processo, com todas os seus componentes diretos,  transversais e reacionais. Isso é a análise da compatibilidade do processo. É uma ação conjunta, participativa.

                       

                      A viabilização dessa ação conjunta participativa só é possível quando se cria mecanismos estratégicos analíticos de controle baseados em conhecimento técnico, ética e conhecimento legal através de um núcleo de ações centralizado.

                       

                      Responsabilidade Civil: 
                      Art. 3° da Lei de Introdução ás Normas do Direito Brasileiro
                      “Ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a conhece”

                      Código Penal:
                      Art. 21 do Código Penal: O desconhecimento da lei é inescusável
                      “Ninguém pode alegar o desconhecimento da lei para justificar um ato ilícito”.

                      Deixe uma resposta

                      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

                      error: Content is protected !!