/
/
BARRAGENS SE ROMPEM E DESTRÓI DISTRITO DE MARIANA
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

BARRAGENS SE ROMPEM E DESTRÓI DISTRITO DE MARIANA

O EVENTO ocorreu….as vítimas estão aí e a cidade foi destruída…quem restituirá a vida dessas pessoas? Duvidas em saber de quem é a culpa não importa… o fato está aí. Não há duvidas.

 

ACIDENTES OCORREM, NÃO EXISTE RISCO ZERO PORÉM, PARA ISSO QUE É ELABORADO UM LAUDO, É FEITO UM ESTUDO SÉRIO ONDE PROBLEMAS E PERIGOS QUE ACARRETAM RISCOS SÃO APONTADOS E MEDIDAS SÃO TOMADAS PARA MINIMIZAR ESSES RISCOS!

 

05/11/2015 17h14 – Atualizado em 06/11/2015 01h25

 

Barragens se rompem e enxurrada de lama destrói distrito de Mariana

 

Acidente foi em Bento Rodrigues e bombeiros confirmam uma morte.

 

Localidade está sendo esvaziada; MP vai investigar causa do acidente.

 

O rompimento de duas barragens de rejeitos da mineradora Samarco causou uma enxurrada de lama que inundou várias casas no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais, na tarde desta quinta-feira (5).

 

É necessário que a importância ás análises de riscos ambientais saiam do simples achismo dos ambientalistas.

 

Um LAUDO AMBIENTAL,, um EIA/RIMA CORRETO, pode salvar vidas. Pode salvar a SUA VIDA!

 

Não se trata de simples documento de gaveta ou simples documento para liberação de obras. O EIA/RIMA é um instrumento MUITO SÉRIO e que tem a finalidade de fazer prevenção a tragédias como essa.

 

Um laudo técnico elaborado a pedido do MP (Ministério Público) de Minas Gerais alertou, em 2013, sobre os riscos de rompimento da barragem do Fundão, em Mariana (a 115 km de Belo Horizonte), da mineradora Samarco.  SERÁ ESSA UMA INFORMAÇÃO REAL?  –  O QUE CONSTAVA NESSE LAUDO? QUEM ANALIZOU ESSE LAUDO? QUAIS AS PROVIDÊNCIAS TOMADAS…

 

A ruptura de duas barragens (além da do Fundão, a de Santarém também se rompeu) ocorrida na tarde de quinta-feira (5) no subdistrito de Bento Rodrigues provocou inundação, destruição e mortes. Pessoas ficaram feridas, e equipes de buscas tentam localizar desaparecidos.

 

O relatório foi produzido pelo Instituto Prístino em outubro de 2013 e anexado ao parecer do MP em relação ao pedido feito pela Samarco Mineração ao órgão ambiental do Estado para renovar a licença de operação da barragem.

 

O documento chama a atenção para a proximidade perigosa entre a barragem do Fundão, para onde a Samarco destina o material descartado durante a mineração –como água, terra e restos de minério–, e o local onde a Mina de Fábrica Nova da Vale coloca rochas sem minério, chamado de pilha de estéril União.

 

“Notam-se áreas de contato entre a pilha e a barragem. Esta situação é inadequada para o contexto de ambas estruturas, devido à possibilidade de desestabilização do maciço da pilha e da potencialização de processos erosivos”, diz o relatório.

 

Baseado nesse laudo, o MP recomendou à época “a elaboração de estudos e projetos sobre os possíveis impactos do contato entre as estruturas”. Em seu parecer, o promotor de Justiça Carlos Eduardo Ferreira Pinto sugeriu realizar uma análise em caso de ruptura da barragem, monitoramento periódico e apresentação de plano de contingência em caso de acidentes.

 

“Totais condições de segurança”?????

 

O gerente-geral de projetos estruturantes da Samarco, Germano Lopes, informou que a barragem do Fundão, em operação desde 2008, “tem todas as licenças ambientais de funcionamento”. TER A LICENÇA É TER UM PAPEL……TER A LICENÇA NÃO IMPLICA EM ESTAR SEGURO.

 

Por meio de nota, a empresa afirmou que fiscalização feita em julho deste ano “indicou que as barragens encontravam-se em totais condições de segurança”. “A Samarco também realiza inspeções próprias, conforme Lei Federal de Segurança de Barragens, e conta com equipe de operação em turno de 24 horas para manutenção e identificação, de forma imediata, de qualquer anormalidade”, diz o documento.

 

O Sisema (Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Minas Gerais) comunicou nesta sexta-feira (6) que a barragem do Fundão estava regular e foi inspecionada por um auditor especialista em segurança de barragens.

 

“De acordo com o programa de auditoria de segurança de barragem da Fundação Estadual de Meio Ambiente, a barragem do Fundão estava com estabilidade garantida pelo auditor. O último relatório foi apresentado em setembro de 2015”, informou.

 

A Samarco teve a licença de operação concedida em 29 de outubro de 2013, com validade até 29 de outubro de 2019. (Com Agência Brasil)

 

O secretário de Defesa Social de Mariana, Brás Azevedo, disse que a situação no local é muito grave e há riscos de mais desmoronamentos. A orientação para os moradores que deixam Bento Rodigues é que sigam para o distrito de Camargos, que é mais alto e mais seguro.

 

Empresa

 

O diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, em comunicado divulgado no perfil da empresa no Facebook por volta das 23h desta quinta, afirmou que o rompimento ocorreu em duas barragens – e não em uma, como informava nota divulgada pela mineradora no fim da tarde. (Veja a nota no fim da reportagem)

 

Segundo Vescovi, romperam-se as barragens de Fundão e Santarém, na unidade industrial de Germano, localizada entre os municípios de Mariana e Ouro Preto – a cerca de 100 km de Belo Horizonte.

 

O diretor-presidente da empresa diz que o rompimento foi identificado na tarde desta quinta e, imediatamente, foi acionado o plano de ação emergencial de barragens para priorizar o atendimento das pessoas que trabalham no local ou que vivem próximo às barragens

 

Resgate

 

A Prefeitura de Mariana informou que muitas pessoas ainda estão ilhadas, e os acessos por terra estão todos bloqueados. Um helicóptero vai fazer o resgate, porém, a aeronave não pode voar à noite.

 

Os desabrigados estão sendo levados para a Arena Mariana, que é um complexo esportivo do município. Doações de roupas, água mineral, colchões e produtos de higiene pessoal podem ser entregues no centro de convenções de Mariana, na Rua Juscelino Kubitschek.

 

Segundo a prefeitura, o distrito de Bento Rodrigues tem cerca de 600 moradores, em 200 imóveis. Mas como outras localidades podem ter sido atingidas pelo mar de lama, a estimativa é de 2 mil pessoas afetadas.

 

Segundo a Polícia Militar de Meio Ambiente, a mineradora foi fiscalizada há dois anos e nenhum problema foi encontrado na barragem.

 

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e de Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) criou um comitê de crise para cuidar do acidente e uma equipe de emergência foi enviada para o local para avaliar a situação.

 

De acordo com o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão responsável pela fiscalização de barragens de rejeitos, a barragem de Fundão é considerada de baixo risco, e o rejeito de minério, inofensivo para a saúde.

 

Ministério Público

 

Representantes do Núcleo de Combate aos Crimes Ambientais do Ministério Público Estadual de Minas Gerais estão em Bento Rodrigues e será instaurado um inquérito civil para apurar as causas do rompimento da barragem, afirmou o promotor de Justiça do Meio Ambiente, Carlos Eduardo Ferreira Pinto.

 

Segundo o promotor, a partir desta sexta (6), o MP pretende levantar e identificar as causas do acidente e propor uma ação contra os responsáveis. Ele afirmou que nenhuma barragem se rompe por acaso, mas ressaltou que é prematuro dizer qual é a causa.

 

NOTA DA SAMARCO DIVULGADA NA TARDE DESTA QUINTA:

 

A Samarco informa que houve um rompimento de sua barragem de rejeitos, denominada Fundão, localizada na unidade de Germano, nos municípios de Ouro Preto e Mariana (MG). A organização está mobilizando todos os esforços para priorizar o atendimento às pessoas e a mitigação de danos ao meio ambiente. As autoridades foram devidamente informadas e as equipes responsáveis já estão no local prestando assistência. Não é possível, neste momento, confirmar as causas e extensão do ocorrido, bem como a existência de vítimas. Por questão de segurança,  a Samarco reitera a importância de que não haja deslocamentos de pessoas para o local do ocorrido, exceto as equipes envolvidas no atendimento de emergência.

 

Leiam as reportagens completa:

 

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2015/11/06/laudo-de-2013-fez-alerta-sobre-riscos-de-ruptura-de-barragem-em-mariana-mg.htm#fotoNav=25

 

http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2015/11/barragem-de-rejeitos-se-rompe-em-distrito-de-mariana.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *