/
/
NR32 – CUIDAR DA SAÚDE DE QUEM CUIDA DA NOSSA SAÚDE
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

NR32 – CUIDAR DA SAÚDE DE QUEM CUIDA DA NOSSA SAÚDE

NR32 – CUIDAR DA SAÚDE DE QUEM CUIDA DE NOSSA SAÚDE

 

O profissional que cuida da saúde de todos precisa estar, em primeiro lugar, com sua saúde perfeita.

 

Um profissional da saúde precisa de muito mais cuidado que as outras pessoas pois, além de ser um cidadão igual a todos, e portanto estar exposto a todos os riscos que todos nós corremos, ele está constantemente em contato com pessoas portando as mais diversas patologias, as mais diversas condições emocionais o que o torna muito mais exposto a todos os perigos que coloca sua saúde em uma posição de maior risco.

 

Nossa meta é prevenir esses riscos. Sem um profissional da saúde saudável, não teremos saúde.

 

CURSO:  IMPLANTAÇÃO DA NR32, ANEXO III, PGRSS E LAUDO AMBIENTAL

 

OBJETIVO DE NOSSA ATUAÇÃO: CUMPRIMENTO LEGAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL

 

JUSTIFICATIVA DE NOSSA ATUAÇÃO: CAPACITAÇÃO TÉCNCIA E EXPERIÊNCIA PRÁTICA

 

Abaixo as razões que nos levam a ministrar este curso pautado em conhecimento e experiência técnica e informações objetivas.

 

Nossa meta é levar informações e resoluções práticas e objetivas aos profissionais que nos procuram.

 

Vivemos em uma época marcada por mudanças, pressões, dúvidas e necessidades.

 

Hoje, onde cada vez mais a busca pela melhoria na qualidade de vida tornou-se uma meta a ser atingida. Essa busca muitas vezes é auxiliada pelas grandes quantidades de informações virtuais disponíveis porém um dos grandes riscos é a falta de confiabilidade frente a esses  turbilhões de informações virtuais.

 

Vários são os riscos aos quais o sistema e a população e estão expostos, riscos esses que transcendem ao universo local limitado e conhecido.

 

 

    • Quais são as informações corretas?

 

    • A quem dar credibilidade?

 

    • Como conseguir um status realmente equilibrado?

 

    • Quais os riscos mais comuns e evitáveis?

 

    • Como implementar as medidas apresentadas?

 

    • Quais os riscos aceitáveis? Esses são apenas alguns questionamentos primários perante aos RISCOS aos quais estamos sujeitos.

 

    • A sustentabilidade do sistema depende de políticas estratégicas baseadas em ações com uma abordagem crítica, real, científica e direcionada. Uma política com foco na DIMINUIÇÃO DE RISCOS.

 

 

Aqui, vamos dar uma ênfase nos RISCOS OCUPACIONAIS, riscos esses que temos como meta ajudar a minimiza-los não apenas por cumprimentolegal mas também por questões de responsabilidade social.

 

Dados estatísticos demonstram que os custo com acidentes aumentam vertiginosamente e, equivalem a 5% da Economia Mundial.

 

Até o início do século XVII, não havia preocupação com a saúde do trabalhador. Com o advento da Revolução Industrial e de novos processos industriais – modernizações das máquinas – começaram a surgir doenças ou acidentes decorrentes do trabalho. A partir desse momento, houve a necessidade de elaboração de normas para melhorar o ambiente de trabalho em seus diversos aspectos, de modo que o trabalhador não possa ser prejudicado com agentes nocivos a sua saúde.O custo dos acidentes e doenças ocupacionais corresponde à cerca de 5% do Produto Bruto do mundo. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), estatíticas da OIT de 2013 indicam:

 

•           2,02 milhões de pessoas morrem a cada ano devido a enfermidades relacionadas com o trabalho.

 

•           321 mil pessoas morrem a cada ano como consequência de acidentes no trabalho.

 

•           160 milhões de pessoas sofrem de doenças não letais relacionadas com o trabalho.

 

•           317 milhões de acidentes laborais não mortais ocorrem a cada ano.

 

•           A cada 15 segundos, um trabalhador morre de acidentes ou doenças relacionadas com o trabalho.

 

•           A cada 15 segundos, 115 trabalhadores sofrem um acidente laboral.

 

Essa estatística ultrapassa a média anual de mortes em acidentes de trânsito, guerras, violência e Aids. Um quarto dessas mortes, aproximadamente, é decorrente exposição a substâncias perigosas que provocam a incapacitação de órgãos, resultando em câncer, distúrbios cardiovasculares, respiratórios e do sistema nervoso.

 

O levantamento da OIT indica que ocorrem no mundo 250 milhões de acidentes de trabalho e 160 milhões de doenças profissionais no mesmo período. Mortes e ferimentos representam a maior taxa entre os países em desenvolvimento, onde grande número de trabalhadores está concentrado em atividades primárias e de extração, como a agricultura, pesca, desmatamento e mineração.

 

Em 2004, num total de 458.956 acidentes notificados, 30.161 correspondiam ao setor da saúde sendo que houve um aumento de 30% em relação a 2003 com 23.108 notificações. Fois necessário, com base nesses dados, a criação da NR32.

 

O Brasil agrega 3,5 milhões de profissionais da área de saúde sendo que, nossa grande preocupação está voltada ao profissional de apoio como  limpeza, manutenção, recepção, administração, e outros que estão sob risco e, para o qual, necessitam de prevenção e treinamento para diminuição  desse risco.

 

A saúde ocupa o primeiro lugar no ranking  de registros de acidentes, mesmo com a ineficiência dos processos de notificação.

 

Na Saúde, a NR32  – Portaria GM n.º 485, de 11 de novembro de 2005 – vem coroar um segmento que cuidava da saúde do próximo, sem estabelecer parâmetros para prevenção da sua própria saúde e qualidade de vida.

 

Dentro dessa premissa, damos grande ênfase a elaboração do PGRSS – Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, obrigatório para QUALQUER estabelecimento de serviços de saúde HUMANO E ANIMAL.

 

Outro grande vilão do segmento da saúde são as patologias ósteo – musculares, não apenas as DORTs mas toda e qualquer LER (podendo ser ou não um esforço repetitivo ocupacional, ou mesmo não repetitivo porém, fatigante).

 

Dentro deste universo que vivemos, ações imediatas devem ser propostas para que, dentro dessa realidade, tenhamos uma população mais consciente e saudável.

 

De acordo com a definição da OMS (Organização Mundial de Saúde) temos:

 

“Saúde: estado completo de bem estar físico, mental e social e não simplesmente ausência de doenças.”

 

Dessa forma, a informação e a conscientização são fundamentais na busca de condições de vida mais saudáveis.

 

O Homem é capaz de ter uma ação transformadora consciente a fim de promover uma mudança ambiental favorável.

 

Para isso, torna-se necessária a educação (formação geral que prepara para desenvolver-se na vida, contribui para a formação do caráter, da identificação com a sociedade e com o meio).

 

A informação e a conscientização de uma população faz-se necessária sendo preceitos fundamentais em busca de condições de vida mais saudáveis e SUSTENTÁVEIS.

 

Esta provado que o cumprimento ás legislações que tratam da saúde do trabalhador proporcionam uma melhoria da qualidade de vida do profissional além de aumentam a produtividade, trazendo, evidentemente uma melhoria no atendimento o que auxilia na recuperação do paciente.

 

Estamos aqui para trazer informação e apresentar sugestões que visam o cumprimento legal, a minimização dos riscos, a melhoria da qualidade de vida dos profissionais, o aumento da produtividade, a melhoria do atendimento e a melhoria da qualidade de vida dos pacientes.

 

É o que chamamos de Cadeia de Saúde Sustentável

 

Estamos montando um grupo sobre a NR32 para compartilharmos informações e vivências pois apenas com a experiência de cada um podemos montar um conjunto coeso de ações.

 

Compartilhar informações para melhorar as condições, essa é a nossa forma de trabalho.

 

É necessário cuidar da saúde de quem cuida da nossa saúde para que nossa saúde fique bem cuidada!

 

Saiba mais:

 

O que é a NR32 – http://goo.gl/05Enja

 

O que é o PGRSS – http://goo.gl/1FXk4M

 

Próximo curso – Formador de Multiplicadores – http://goo.gl/DaOnVa

 

SEJA UM PATROCINADOR DA EQUIPE DE ESTUDOS DA NR32 –  mkt@cmqv.org

 

fale concosco – cmqv@cmqv.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!