/
/
Região africana livre do vírus da pólio
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Região africana livre do vírus da pólio

Fazendo uso da vasta infraestrutura desenvolvida para a identificação do vírus da poliomielite e execução de campanhas de vacinação, o programa de erradicação da pólio está sendo empregado para proteger os mais vulneráveis contra o covid-19, especialmente em países endêmicos da poliomielite. Do Paquistão à Nigéria, nossos vários anos de experiência no enfrentamento de surtos estão sendo úteis aos governos conforme lidam com a situação imposta pelo novo coronavírus.

Agora que a região africana está livre do vírus selvagem da pólio, cinco das seis regiões da OMS, representando mais de 90% da população mundial, estão livres da doença. Contudo, a pólio causada pelo vírus selvagem ainda é endêmica no Afeganistão e Paquistão, mas a certificação da região africana, celebrada em evento de transmissão ao vivo, deu mais ímpeto para eliminar o vírus de vez.

Somália conduz primeira campanha de imunização com sucesso em meio a COVID-19

Campanha integrada de poliomielite e sarampo protege milhares de crianças.

Países em surto

Os países com surto são aqueles que interromperam o poliovírus selvagem nativo, mas estão experimentando uma reinfecção por meio da importação de poliovírus selvagem ou derivado de vacina de outro país, ou do surgimento e circulação do poliovírus derivado de vacina.

Para interromper esses surtos, é necessário implementar totalmente as diretrizes internacionais de resposta a surtos.

Os países endêmicos , que nunca pararam a transmissão do poliovírus selvagem nativo, também podem ser afetados por surtos de poliovírus derivado da vacina circulante.

Todos os países permanecem sob risco de pólio até que a doença seja completamente erradicada do mundo. Até então, a melhor maneira para os países minimizarem o risco e as consequências da infecção da poliomielite é manter altos níveis de imunidade da população por meio de alta cobertura de vacinação e forte vigilância da doença para detectar e responder rapidamente à poliomielite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *