O Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais é comemorado no dia 28 de julho

O Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais é comemorado no dia 28 de julho

Julho é o mês de conscientização sobre as hepatites virais. A doença é caracterizada por uma inflação do fígado e, em muitos casos, é silenciosa o que aumenta o risco de evoluir para complicações diversas e até fatais 

Hepatite Zero: Rotary realiza campanha com testes gratuitos

A Organização Mundial de Saúde, em uma  estimativa aponta que existam pelo menos 400 milhões de pessoas infectadas cronicamente pelos vírus das Hepatites B e C em todo o mundo, além de mais um milhão serem infectadas pelo vírus Hepatite todos os anos. As hepatites virais crônicas surgem de maneira silenciosa e podem demorar muitos anos para desenvolver complicações.

De acordo com o Ministério da Saúde, acredita-se que 57% dos casos de cirrose hepática e 78% dos casos de câncer hepático estão diretamente relacionados aos vírus de hepatite B e C, entretanto, apenas 5% dos portadores de hepatites estão diagnosticados. Por fim, é estimado 1,5 milhão de mortes relacionadas às hepatites virais.

“Segundo a Organização Mundial de Saúde, as hepatites virais são um dos maiores problemas mundiais de saúde e matam duas vezes mais do que a AIDS.”

Recentemente, a ciência chegou a um consenso: o de que as Hepatites Virais podem ser erradicadas do planeta no prazo de 15 a 20 anos. Para que isso aconteça, é preciso uma mobilização mundial”, e, por esse motivo observou estamos auxiliando nessa campanha em parceria com a Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite (ABPH).

Ampliar os investimentos públicos no combate aos diferentes tipos de hepatite viral salvaria a vida de 4,5 milhões de pessoas nos próximos 11 anos, segundo uma estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Especialistas da OMS publicaram um estudo afirmando que seria preciso investir um total de R$ 222 bilhões para que, até 2030, a hepatite viral deixe de ser uma ameaça de saúde pública em 67 países vulneráveis, de renda média e baixa. A estimativa foi publicada na revista “Lancet Global Health”, na sexta-feira 26/07/2019.

Prevenção e Detecção:

Uma das frentes para o combate às hepatites é o diagnóstico oportuno por meio de testes rápidos no SUS. Em 2018, o Ministério da Saúde distribuiu 25 milhões de testes de hepatite B e C. Para 2019, com o fortalecimento das ações de diagnóstico e ampliação do tratamento, a expectativa é que esse número já foi superado.

A hepatite C é a inflamação do fígado, causado por vírus HCV.  Como já disto acima, segundo estimativas atuais da Organização Mundial de Saúde, as hepatites virais afetam 400 milhões de pessoas no mundo, 6 a 10 milhões são infectadas a cada ano e cerca de 1,4 milhões de pessoas morrem anualmente por causa das complicações das hepatites virais.

O Rotary  presente junto a essa campanha: Hepatite Zero:

Ao longo da semana de25 de julho, seguindo até a sexta, 29,  instituições, em todo o Brasil, realizam mutirões que incentivam o diagnóstico da hepatite C e, o ROTARY se fez presente!

A hepatite é a inflamação do fígado. Em muitos casos, são doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas.

Cerca de um terço da população mundial – ou dois bilhões de pessoas – estão infectadas com o vírus da hepatite. De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) nesta terça-feira durante a primeira conferência para o Dia Mundial da Hepatite, a maioria dessas pessoas não sabe que contraiu o vírus e que pode vir a desenvolver a doença a qualquer momento da vida.

POSIÇÃO DA HEPATITE NO BRASIL:

Na última década, houve redução de 7% no número de casos de notificados da doença no país. Em 2018, foram registrados 42.383 casos de hepatites virais no Brasil. Em 2008, o número foi de 45.410 casos. Os dados são do novo Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2019. O levantamento também apontou queda de 9% no número de óbitos, saindo de 2.362 em 2007 para 2.156 em 2017.  Entre as hepatites, o tipo C da doença é a mais prevalente e também a mais letal, com 26.167 casos notificados em 2018.

Em 2018, foram notificados 2.149 casos de hepatite A no Brasil, o que equivale a uma taxa de detecção de 1 caso por 100 mil habitantes. A transmissão mais comum da doença é pela água e alimentos contaminados. O tratamento é sintomático e geralmente evolui para cura. Além disso, o SUS oferta a vacina contra a hepatite A para menores de cinco anos e grupos de risco.

Já com relação à hepatite B, foram registrados no ano passado, 13.992 casos, o que representa 7 casos por 100 mil habitantes. A hepatite B pode ser transmitida pelo contato com sangue contaminado, sexo desprotegido, compartilhamento de objetos cortantes e de uso pessoal e de mãe para filho (transmissão vertical). O Ministério da Saúde oferta a vacina contra a hepatite B para todas as faixas etárias. O tratamento da doença evita complicações, como cirrose e câncer.

Em 2018, foram notificados 26.167 casos de hepatite C no Brasil, com taxa de detecção de 13 casos por 100 mil habitantes. A doença é transmitida por sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes. O maior número de pessoas com Hepatite C se concentra em pessoas acima dos 40 anos. A hepatite C nem sempre apresenta sintomas. O tratamento da doença é ofertado gratuitamente no SUS e cura mais de 95% dos casos.

No Brasil, em 2018 foram registrados 145 casos da hepatite D no país. A infecção ocorre quando o paciente já contraiu o vírus tipo B. Os sintomas da hepatite D são silenciosos e a doença é combatida por meio da vacina contra a hepatite B que também protege contra a D.

Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que as hepatites virais causam anualmente 1,7 milhão de mortes, no mundo. Em 2017, foram registrados no Brasil 2.184 óbitos provocados por hepatites virais, sendo 1.720 mortes relacionadas à hepatite C. Em decorrência da hepatite A foram notificados 22 óbitos, por hepatite B foram 414 mortes e 28 óbitos em decorrência da hepatite D.

BOLETIN EPIDEMIOLÓGICO DAS HEPATITES VIRAIS

A MELHORIA DE NOSSA VIDA COMEÇA COM A MELHORIA DO MUNDO QUE COMEÇA COM NOSSAS AÇÕES…

O Rotary une mais de um milhão de associados que buscam a MELHORIA DO MUNDO

Juntos, vemos um mundo onde as pessoas se unem e entram em ação para causar mudanças duradouras em si mesmas, nas suas comunidades e no mundo todo.

Fale com o coordenador de Rotary – hugo@hugodorea.com.br

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.