/
/
Esporotricose Humana: sintomas, causas, prevenção, diagnóstico e tratamento
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Esporotricose Humana: sintomas, causas, prevenção, diagnóstico e tratamento

Sintomas da Esporotricose

Hoje há um aumento significativo com relação aos PETs. Quase todas as pessoas tem um pet de estimação…

Essa matéria tem a finalidade de trazer um alerta para os que possuem gatos e mesmo para aqueles que convivem com quem os possui

 O que é Esporotricose Humana?

A Esporotricose Humana é uma micose subcutânea que surge quando o fungo do gênero Sporothrix entra no organismo, por meio de uma ferida na pele. A doença pode afetar tanto humanos quanto animais.

A infecção ocorre, principalmente, pelo contato do fungo na pele ou mucosa por meio de trauma decorrente de acidentes com espinhos, palha ou lascas de madeira; contato com vegetais em decomposição; arranhadura ou mordedura de animais doentes, sendo o gato o mais comum.

As principais formas clínicas da doença:

  • Esporotricose cutânea: caracteriza-se por uma ou múltiplas lesões, localizadas principalmente nas mãos e braços.
  • Esporotricose linfocutânea:é a forma clínica mais frequente; são formados pequenos nódulos, localizados na camada da pele mais profunda seguindo o trajeto do sistema linfático da região corporal afetada. A localização preferencial é nos membros.
  • Esporotricose extracutânea: quando a doença se espalha para outros locais do corpo, como ossos, mucosas, entre outros, sem comprometimento da pele.
  • Esporotricose disseminada: acontece quando a doença se espalha para outros locais do organismo, com comprometimento de vários órgãos e/ou sistemas (pulmão, ossos, fígado).

Quais as causas da Esporotricose Humana?

A esporotricose é causada por fungos do gênero Sporothrix. Estes fungos podem apresentar duas formas no seu ciclo de vida: micelial (de filamentos) e levedura (parasitária). Na forma micelial, o fungo está presente na natureza, no solo rico em material orgânico, nos espinhos de arbustos, em árvores e vegetação em decomposição. A forma de levedura é a que pode parasitar o homem e animais.

Os indivíduos geralmente adquirem a infecção pela implantação do fungo na pele ou mucosa por meio de um trauma decorrente de acidentes com espinhos, palha ou lascas de madeira; contato com vegetais em decomposição; ou arranhadura ou mordedura de animais doentes, sendo o gato o agente transmissor mais comum.

Como ocorre a transmissão Esporotricose Humana?

A transmissão ocorre por meio da contaminação de ferimentos já abertos ou pela inoculação (entrada) do fungo na pele a partir de um trauma com espinhos, farpas de madeira, arranhadura, mordedura, entre outros, alcançando o tecido cutâneo e subcutâneo.

O fungo Sporothrix schenckii não é capaz de penetrar a pele sem lesão.

Atualmente, sua ocorrência está cada vez mais relacionada à transmissão por animais, principalmente a partir de gatos domésticos infectados e, ocasionalmente, por cães, pássaros, tatus e peixes.

A transmissão da esporotricose durante muito tempo foi relacionada exclusivamente a um trauma na pele, no entanto, tem sido observada a transmissão por via inalatória, decorrente, por exemplo, da tosse ou espirro de animais infectados.

Quais os sintomas da Esporotricose Humana?

Os sintomas da esporotricose aparecem após a contaminação do fungo na pele e o desenvolvimento da lesão inicial é bem similar a uma picada de inseto, podendo evoluir para cura espontânea.

Em casos mais graves, por exemplo, quando o fungo afeta os pulmões, podem surgir tosse, falta de ar, dor ao respirar e febre. Na forma pulmonar, os sintomas se assemelham aos da tuberculose. Mas também pode afetar os ossos e articulações, manifestando-se como inchaço e dor aos movimentos, bastante semelhante ao de uma artrite infecciosa.

As formas clínicas da doença vão depender de fatores, como o estado imunológico do indivíduo e a profundidade da lesão.

O período de incubação é variável, de uma semana a um mês, podendo chegar a seis meses após a inoculação, ou seja, entrada do fungo no organismo humano.

Como é feito o diagnóstico da Esporotricose Humana?

A esporotricose pode ser diagnosticada por meio da correlação entre os dados clínicos, epidemiológicos e laboratoriais. A confirmação diagnóstica laboratorial de escolha é feita pelo isolamento do fungo obtido de material de biópsia, aspirado de lesões, ou mesmo de outras amostras, tais como escarro, sangue, líquido sinovial e líquor.

Técnicas sorológicas constituem uma das ferramentas diagnósticas que auxiliam no resultado rápido, tanto nos indivíduos que apresentam formas clínicas cutâneas, quanto nas atípicas, porém não estão amplamente disponíveis no mercado nacional.

Ressalte-se que um resultado laboratorial negativo em amostras suspeitas não afasta o diagnóstico da doença.

Como é o tratamento da Esporotricose Humana?

O tratamento dever ser realizado após a avaliação clínica, com orientação e acompanhamento médico. A duração do tratamento pode variar de três a seis meses, ou mesmo um ano, até a cura do indivíduo. Os antifúngicos utilizados para o tratamento da esporotricose humana são o Itraconazol, o Iodeto de Potássio, a Terbinafina e o Complexo Lipídico de Anfotericina B, para as formas graves, disseminadas. O Sistema Único de Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, oferece gratuitamente, o Itraconazol e o Complexo Lipídico de Anfotericina B para o tratamento da Esporotricose humana.

Como prevenir a Esporotricose Humana?

A principal medida de prevenção e controle a ser tomada é evitar a exposição direta ao fungo. É importante usar luvas e roupas de mangas longas em atividades que envolvam o manuseio de material proveniente do solo e plantas, bem como o uso de calçados em trabalhos rurais. Os indivíduos com lesões suspeitas de esporotricose devem procurar atendimento médico, preferencialmente um dermatologista ou infectologista, para investigação, diagnóstico e tratamento.

Toda e qualquer manipulação de animais doentes pelos seus donos e veterinários deve ser feita com o uso de equipamentos de proteção individual (EPI). Além disso, animais com suspeita da doença não devem ser abandonados, assim como o animal morto não deve ser jogado no lixo ou enterrado em terrenos baldios, pois isto manterá a contaminação do solo. Recomenda-se a incineração do corpo do animal, de maneira a minimizar a contaminação do meio ambiente e, com isso, interromper o ciclo da doença.

Mais informações técnicas sobre a esporotricose podem ser obtidas::

Um centro de referência sobre a patologia é a Fiocruz, o Instituto nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI) que tem a unidade que pesquisa a esporotricose. Alguns de seus pesquisadores responderam perguntas selecionadas a partir das questões mais frequentes enviadas ao Fale Conosco. No portal tem  mais informações sobre a esporotricose na página especial do Portal Fiocruz

IMPORTANTE

Esporotricose tem cura?

Sim, a esporotricose tem tratamento e pode ser curada. Em alguns casos a doença pode reaparecer mesmo após o animal ter sido considerado curado, principalmente se o tratamento não for realizado da forma correta. É muito importante a realização de um acompanhamento do animal pelo veterinário, para verificar a necessidade de associação de outras terapias. Animais já tratados e que estejam de alta também podem contrair novamente a doença – por isso, é de grande importância evitar que o animal saudável tenha acesso à rua. A higienização diária do ambiente onde o animal doente se encontra ajuda a reduzir a quantidade de fungo, bem como uma nova contaminação. Vale destacar, ainda, que quanto antes o animal for diagnosticado e tratado, menor é o risco de transmissão e que a manipulação de um animal doente deve sempre ser feita com o uso de luvas.

Onde encontramos essa doença?

A esporotricose é uma doença  endêmica  em muitos estados. Significa que ela se manifesta apenas numa determinada região, de causa local, não atingindo nem se espalhando para outras comunidades. A epidemia se espalha por outras localidades, a endemia tem duração continua porém, restrito a uma determinada área.

Atualmente, a esporotricose é considerada endêmica na cidade do Rio de Janeiro devido à transmissão pelo contato com felinos doentes.

Além do Rio de Janeiro, outras cidades das regiões Sul e Sudeste têm enfrentado casos de esporotricose zoonótica. Em 2015, o Boletim Epidemiológico Paulista (BEPA 2015;12(133):1-16) relatou um surto em Itaquera, bairro da Zona Leste de São Paulo. A partir de uma denúncia, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realizou uma busca ativa na região e encontrou 114 felinos com esporotricose, 68% com isolamento do fungo a partir de lesões cutâneas e os demais por critérios epidemiológicos. Além disso, 13 pessoas que tiveram contato com esses animais foram diagnosticadas com a doença e encaminhadas ao Instituto de Infectologia Emílio Ribas para tratamento adequado. Quando um animal é diagnosticado e tratado com a doença em estágio inicial, é possível que evolua para a cura. Caso vá a óbito, a incineração é obrigatória, pois, se o animal for enterrado, há a perpetuação do fungo no ambiente.

Célia Wada

fonte:

Ministério da Saúde

Compêndio de Micologia Médica

comentário:

Algumas pessoas perguntam se pode haver transmissão entre pessoas da erporotricose.

Apesar de existirem alguns casos relatados em que provavelmente houve infecção entre humanos, esta chance é considerada nas literaturas como baixa. A forma de transmissão mais comum aos humanos no Brasil tem sido a arranhadura a partir de gatos com esporotricose.

Tecnicamente, verificamos que a forma esporulada é a que transmite a patologia ou seja, um pequenino esporo entrando em contato com uma área irrigada de fluidos e sangue, pode encontrar um meio ideal para que esse fungo se desenvolva. Já, uma pele íntegra, esse desenvolvimento provavelmente não  acontecerá.

Portanto, sempre costumo dizer – DEPENDE.

Depende da fase em que o fundo se encontre, depende da integridade da pele, depende do estado imunológico da pessoa, dos cuidados com a higiene entre outros tantos fatores…

Veja a esporotricose é uma micose subcutânea causada por um fungo. Esse fungo é chamado Sporothrix schenckii e é um fungo saprófito ou seja, pode estar na pele sem causar danos.

Esse fungo pode estar presente em galhos, solo e outros locais. Você pode entrar em contato com ele e não acontecer nenhuma reação. TUDO DEPENDE.

Esse fungo, vive basicamente na terra e, quando em contato principalmente com regiões lesionadas pode causar doenças ou seja, pode causar a esporotricose, pode (arranhões, outras feridas, etc, que acontece com os gatos, desenvolvem uma patologia bastante severa e até mesmo fatal que é chamada ESPOROTRICOSE).

Nós, micologistas, sabemos que  quando inoculado acidentalmente em humanos, torna-se um fungo patogênico que produz micose subcutânea ou seja, a chamada esporotricose, concluímos que se, em laboratório, o fungo  inoculado produz a esporotricose, da mesma forma, uma pessoa pode transmitir para outra pessoa. TUDO DEPENDE!

68 Comments

  1. Silva Torres

    Meu marido está com essa doença esporotricose, já usou vários remédios, sem sucesso. Ele é alérgico ao itraconazol, o q dificulta a cura.

    1. Dra. Célia Wada

      SILVIA
      Desculpe a demora da resposta, vou te responder em seu e-mail…
      Célia Wada

      1. Catia

        Gostaria de saber porque trato esporo há 1 ano e 4 meses e nada de sarar. O que devo fazer?
        Só tomei itraconazol.

        1. Dra. Célia Wada

          Catia
          Boa noite
          Como estão as sua lesões?
          E a do seu animal?
          1 ano é bastante tempo, deveria estar diminuindo bem. Você estaria se reinfectando?
          Me fala no e-mail…

  2. Vera

    Moro em Jaboatão dos Guararapes ,tenho um gato que está com esporotricose , quando descobri já estava bastante evoluído , pois , o adotei da rua e não tinha habilidade para reconhecer essa doença. O tratamento está sendo tardio , se ele vir a obto , qual o setor público que eu posso procurar em Jaboatão PE ,, para cremar ? Já que não posso enterrar

    1. Dra. Célia Wada

      VERA
      Bom dia
      Procure ao setor de CONTROLE DE ZOONOSES aí na sua cidade ou mesmo a equipe da vigilância sanitária para te darem as informações. Seu veterinário também pode te orientar… a esporotricose tem cura….Caso o gato morra, é necessário um cuidado especial para que, ao enterrar o corpo, a terra não fique contaminada, podendo passar o fungo para outros animais. O ideal é optar pela incineração…
      Se quiser mais detalhes, mande um e-mail para celia@consultevida.com.br….podemos conversar…
      Célia Wada

    1. Dra. Célia Wada

      MARINALVA, como expliquei, a esporotricose é uma doença infecciosa causada pelo fungo Sporothrix schenckii, que pode ser encontrado naturalmente no solo e em plantas. A infecção pelo fungo acontece quando esse microrganismo consegue entrar no corpo por meio de uma ferida presente na pele, levando a formação de pequenas feridas ou caroços avermelhados semelhantes à picada de mosquito, por exemplo. VOCÊ JÁ CONSULTOU O MÉDICO? TEM TRATAMENTO….VOCÊ NÃO VAI MORRRER (pelo menos, não por conta da esporotricose…)
      Na maior parte dos casos, o tratamento da esporotricose é fácil, sendo apenas necessário tomar um antifúngico por 3 a 6 meses. Por isso, se existir suspeita de ter pego alguma doença após estar em contato com um gato, por exemplo, é muito importante ir ao clínico geral ou infectologista para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento.
      Quem te deu esse diagentostico?
      Fique tranquila, faça o tratamento correto e volte a falar conosco..
      grande abraço!
      Célia Wada

  3. Melissa

    Quanto tempo desaparece a lesão na pele após iniciar o tratamento com itraconazol, 200 ml por dia ???

    1. Dra. Célia Wada

      MELISSA
      Todo tratamento tem uma resposta básica mas, sempre existe uma dependência de vários fatores a serem observados.
      Não tem como precisar exatamente o tempo de desaparecimento
      O acompanhamento médico é fundamental, inclusive, a complementação da alimentação ajuda muito em todos os casos.
      Nossa linha é a medicina holística, o que quer dizer que não usamos apenas um fator.
      Muito pelo contrário da medicina tradicional, acreditamos que, apenas com ações multiplas conseguimos, realmente, obter a saúde plena do corpo
      Fico à disposição

    1. Dra. Célia Wada

      TATIANA

      BOM DIA
      Você encaminhou um vídeo com orientações médicas.

      Para que possamos encaminhar seu video, pecisa enviar um currículo para que possamos apresentar para nosso conselho técnico.

      obrigada

  4. Alessandra

    Ola!!
    Tenho um gatinho, e ele está com esporotricose, e já estamos fazendo tratamento dele.
    Mas, apareceram umas bolinhas no braço, do meu filho, bem parecidas com picadas de mosquito. Levei, no médico, e passaram p meu filho de 15 anos tomar fluconazol 400mg 14 cap, uma por dia.
    É isso mesmo? Não é muito forte e um por um período longo?

    1. Dra. Célia Wada

      Prezada Alessandra
      obrigada pelo seu contato…
      Aqui não podemos discutir conduta médica, com certeza, o seu medico sabe o motivo de ter feito essa prescrição mas, sempre você pode fazer essa pergunta para o medico que receitou. apenas como forma de tirar sua duvida…
      Eu sou farmacêutica e tenho minhas opiniões a respeito de medicamentos mas são opiniões técnicas baseadas em conhecimento técnico e farmacológico, não são opiniões porque ” eu acho”…são opiniões por conhecimento e mais de 35 anos de estudos…
      Estamos montando uma apresentação técnica sobre esse assunto e vamos fazer com um médico especialista na área…
      Será uma forma de esclarecimento e informação…
      Fico à dsiposição
      abraços
      Célia Wada

  5. Eriberto

    Tenho praticamente certeza de que estou com esporotricose mas o medico disse que somente a Fiocruz faz esse teste. Isso procede ? Ela passou itraconazol e amoxicilina 500, mas, apenas por 10 dias e o ferimento nao cicatriza, começou com um buraco com puz e agora ja tem 2 relativamente grandes e 2 menores e um relevo de pequenas bolas em linha subindo pelo braço .

    1. Dra. Célia Wada

      Eriberto
      Bom dia
      A esporotricose pode ser diagnosticada por meio de uma correlação entre dados clínicos, epidemiológicos e laboratoriais. A confirmação diagnóstica laboratorial é feita por meio do isolamento do fungo obtido de material de biópsia ou aspirado de lesões
      Essa confirmação do fungo pode ser feita em qualquer laboratório que tenha um departamento de micologia…Cultura para Sporothrix schenckii
      Temos, também, sorologia para o fungo mas, o mais correto e que não fica duvida nenhuma é a cultura com isolamento do fungo…
      Como temos muita experiência com o fungo em questão, pode me encaminhar um e-mail que conversamos, caso queira outras informações – celia@consultevida.com.br, terei muito prazer em falar com você.
      abraços
      Célia Wada

  6. Fernanda Fernandes

    Minha mãe teve uma arranhadura do gato contaminado. E logo após apareceu uma lesão no braço, iniciada como uma picada de mosquito . Porém o médico da clínica da família prescreveu cefalexina 500 MG e nebacetim nas lesões. Onde posso procurar melhores orientações quanto ao tratamento? Tem algum número que eu possa ligar? Desde já grata.

    1. Dra. Célia Wada

      FERNANDA
      BOM DIA
      Mesmo se não tiver certeza que o gato está contaminado, deve iniciar a profilaxia para a prevenção.
      Aqui não podemos discutir conduta médica, com certeza, o seu medico sabe o motivo de ter feito essa prescrição.
      Como temos muita experiência com o fungo em questão, pode me encaminhar um e-mail que conversamos, caso queira outras informações – celia@consultevida.com.br, terei muito prazer em falar com você.
      abraços
      Célia Wada

  7. DAYSE LOMBRE

    Boa noite, meu gato pegou esporotricose a mais de um mês iniciei o tratamento com sucesso, porém tem aparecido nos meus braços feridas parecida com picada de insetos, nós dois braços, iniciei o tratamento com itraconazol sem mesmo ir ao médico, algumas vezes seu sangue espirrou em mim, dessa forma posso ter pego?

    1. Dra. Célia Wada

      DAYSE
      Como falei para outra pessoa que me escreveu, precisa ir ao dermatologista para que ele peça o exame específico para saber exatamente o agente.
      A contaminação é por contato direto da pele…
      O tratamento é longo mas precisa ter certeza do que é…
      Fico à disposição

  8. Tatiana

    Minha filha de 3 anos está com uma lesão muito parecida com as lesões por esporotricose. Já fazem quase 2 meses e não melhora, já usamos nebacetim, verutex, condicort e nada… agora ela esta tomando cefalexina e passando muriprocina. Não sei mais o que fazer. Não temos animais em casa, mas depois de pesquisar muito o oque mais se aproxima é a esporotricose

    1. Dra. Célia Wada

      TATIANA
      Você consultou um dermatologista?
      É importante saber exatamente o agente. Tem que fazer uma cultura para saber o agente. Pode não ser esporotricose. Sem exames não é possível ter certeza…
      Fico á disposição

      1. Nivaldo Alvares

        Boa noite!
        Meu Arthur está com esporotricose, ele a mãe foram arranhados pelo gato que está com isso.
        Ele tem 08 anos e pesa 26 kg.Está tomando itroconazol 100mg, 01vez ao dia.
        A mãe dele está tomando 02 vezes ao dia. Essas dosagens está corretas?
        Já se passaram 10dias e acho que a cicatrização está muito lenta.

        1. Dra. Célia Wada

          Nivaldo, o tratamento da esporotricose é bastante lento.
          As dosagens devem ser preconizadas pelo veterinário pois leva em conta vários fatores que só podem ser verificados quando da anamnese.
          Tenha paciência
          att

          1. Nivaldo Alvares

            É bem lenta a recuperação por completo.
            A lesão está diminuindo.
            Agradeço a senhora pela atenção.

          2. Dra. Célia Wada

            Nivaldo
            boa tarde
            mande notícias da sua melhora
            Pode mandar no:
            celia.wada@gmail.com
            abraços

  9. Vânia rosa de oliveira Rosa

    Estou com esporotricose na mão, tomando itraconazol a três meses mas não seca..sai muito pus..tomo dois por dia…como faço para melhorar ?

    1. Dra. Célia Wada

      Vânia
      Como sempre explico, o tratamento da esporotricose é muito lento.
      Você tem febre?
      Está indo ao médico regularmente e acompanhando com exames de hemograma para ver a evolução?
      Se quiser, pode mandar por e-mail…
      att

  10. Loriciane da Silva Romeu

    Olá, fui diagnósticada com esporotricose, iníciei o tratamento com itraconazol 100mg 2x ao dia, como o diagnóstico foi tardio, estou com ferida grade e vários caroço dolorido no braço onde só aumenta e dói
    Isso é normal?
    Não vi melhoras e faz 4 dias, gostaria de saber se demora mesmo apresentar melhoras.

    1. Dra. Célia Wada

      Loraciane
      O tratamento da esporotricose é muito lento.
      Você tem febre?
      Procure manter aa ferida bem limpa e continue o tratamento. Quando vai retornar ao médico?
      Qual foi a forma de diagnóstico que vc recebeu?
      Exames laboratoriais?
      Mande sua resposta por e-mail, consigo ver mais rápido. celia@consultevida.com.br
      att

  11. Ana Maria

    Boa, tarde!
    Tem como pegar esporotricose se o animal infectado esfregar na perna?
    Apareceu um caroço como fosse uma espinha e começou a coçar e crescer .. daí começou a inchar e ficar avermelhada no local com algumas bolinha vermelha a mais de 15 dias, só tem esse ferimento e mais nenhum. Será que é esporotricose?

    1. Dra. Célia Wada

      Ana Maria
      Boa noite
      Para saber se é esporotricose, é necessário fazer os exames, não há outra forma.
      Não faça nada que pode até atrapalhar o dagnóstico.
      PROCURE UM DERMATOLOGISTA
      att

  12. Luciana

    Oi eu estou com esporotricose já fez um ano e não melhora já fui em um monte de médico e nada não sara dói muito
    Eu fiz biópsia e deu esporotricose
    Tomei itraconazol iodeto de potássio e outros e nada

    1. Dra. Célia Wada

      Luciana

      Boa noite

      Sinto muito pela sua situação.

      De onde você é? Qual a sua idade?

      Estamos preconizando o tratamento com ozônio, mas não sei de onde você é.
      Aqui em São José temos um médico muito bom que faz uso de ozonioterapia…

      Passa seu telefone, no meu e-mail…pode ser whatsapp assim fica mais fácil conversarmos. Quero poder te ajudar…

      att

  13. Rosalia de Andrade Rocha

    Tenho um gato em tratamento da Esporotricose há 70 dias e a lesão fechou, porém foi dar remédio Xantinon liquido e levei um minúsculo arranhou no dedo. Lavei intensivamente com água e sabão, álcool 70 e coloquei spray diclofenaco de clorexidina. Será que posso ter a Esporotricose, com o animal com 70 dias de tratamento e a lesão dele está fechada

    1. Dra. Célia Wada

      Rosalia
      Não tem como prever e não posso te afirmar com certeza porém, devem ser mínimas as chances de uma contaminação.
      Quanto tempo faz esse evento?
      Fique atenta e fique tranquila…vai ficar tudo bem!
      Se quiser, mande e-mail
      att

  14. Rosalia de Andrade Rocha

    Tenho um gato em tratamento da Esporotricose há 70 dias e a lesão fechou, porém foi dar remédio Xantinon liquido e levei um minúsculo arranhou no dedo. Lavei intensivamente com água e sabão, álcool 70 e coloquei spray diclofenaco de clorexidina.

    1. Dra. Célia Wada

      Rosalia
      Boa providência.
      Fique atenta para ver se desenvolve alguma reação mas, acredito que não vá ter problema.
      Vai mandando notícias, pode mandar no meu e-mail
      As vezes demoro para entrar no portal para poder responder
      Abraços
      Célia

  15. Mariane

    Dois dos meus gatos foram diagnosticados com Esporotricose nesta semana em estágio inicial, tanto que eu estava cuidado das feridas deles há alguns dias. E por vezes o sangue teve contato direto com a minha pele. Hoje um deles me mordeu por cima da luva e arranhou. Venho notando carocinhos pequenos na minha pele como mordidas de mosquito há alguns dias sem motivo que os justifique. É possível que eu tenha me contaminado e estes sejam os primeiros sintomas? Devo procurar o dermatologista ou infectologista?

    1. Dra. Célia Wada

      Mariane
      Com certeza, procure um dermatologista ou um infectologista. Procure alguém que já esteja familiarizado com isso. Eles vão pedir para fazer os teste e caso de positivo, é importante, SEMPRE, fazer o tratamento precoce…
      Fico a disposição
      Nosso grupo está fazendo um estudo e pesquisando muito sobre o tema.
      De onde você é?

  16. Daniela Albino de Souza

    Bom dia
    Estando contaminada com esporotricose , transmito para outras pessoas?
    Obrigada

    1. Dra. Célia Wada

      DANIELA

      BOA TARDE
      Geralmente respondo no e-mail particular
      Você recebeu?
      vou repassar aqui:
      Apesar de existirem alguns casos relatados em que provavelmente houve infecção entre humanos, esta chance é considerada nas literaturas como baixa. A forma de transmissão mais comum aos humanos no Brasil tem sido a arranhadura a partir de gatos com esporotricose.
      Tecnicamente, verificamos que a forma esporulada é a que transmite a patologia ou seja, um pequenino esporo entrando em contato com uma área irrigada de fluidos e sangue, pode encontrar um meio ideal para que esse fungo se desenvolva. Já, uma pele íntegra, esse desenvolvimento provavelmente não acontecerá.
      Portanto, sempre costumo dizer – DEPENDE.
      Depende da fase em que o fundo se encontre, depende da integridade da pele, depende do estado imunológico da pessoa, dos cuidados com a higiene entre outros tantos fatores…

      Veja a esporotricose é uma micose subcutânea causada por um fungo. Esse fungo é chamado Sporothrix schenckii e é um fungo saprófito ou seja, pode estar na pele sem causar danos.
      Esse fungo pode estar presente em galhos, solo e outros locais. Você pode entrar em contato com ele e não acontecer nenhuma reação. TUDO DEPENDE.
      Esse fungo, vive basicamente na terra e, quando em contato principalmente com regiões lesionadas pode causar doenças ou seja, pode causar a esporotricose, pode (arranhões, outras feridas, etc, que acontece com os gatos, desenvolvem uma patologia bastante severa e até mesmo fatal que é chamada ESPOROTRICOSE).

      Nós, micologistas, sabemos que quando inoculado acidentalmente em humanos, torna-se um fungo patogênico que produz micose subcutânea ou seja, a chamada esporotricose, concluímos que se, em laboratório, o fungo inoculado produz a esporotricose, da mesma forma, uma pessoa pode transmitir para outra pessoa. TUDO DEPENDE!
      Está em tratamento?
      Como está a lesão?
      etc…
      espero ter ajudado…

  17. Patrícia

    Boa tarde!
    Como devemos higienizar as úlceras causada por esse fungo?

    1. Dra. Célia Wada

      Patricia
      Boa noite
      Além da lavagem constante com água e sabão liquido neutro, água oxigenada também ajuda bastante e é importante passar óleo ozonizado. Ajuda muito no tratamento.
      Pode usar antes mesmo da medicação que está colocando, tanto no gatinho quanto em suas lesões caso as tenha.
      Se quiser, me manda no e-mail…podemos conversar

    1. Dra. Célia Wada

      muito obrigada!

  18. Adrianna Morais

    Estou em tratamento de esporotricose a três meses com itraconazol e fui mordida novamente oque acontece vai surgir outro machucado no local da mordida oque eu faço?

    1. Dra. Célia Wada

      ADRIANA
      BOA NOITE
      Foi mordida novamente pela gatinha? Ela está em tratamento?
      Reinfecções não são boas, pode haver um acúmulo de material ou seja uma carga maior do agente.
      Quem é seu médico?
      E o seu veterinário?
      Não pode correr risco de uma agudização…fale com eles e qualquer coisa, me fala no e-mail…
      abraços e boa sorte

  19. Ilza

    Boa noite Dra Célia! Peguei um gato de Rua para criar, ele continuava saindo na rua, depois de um tempo ele apareceu com uma ferida na pata, continuei cuidando dele e tratando as feridas em casa sem acesso a rua. Um dia ele tenho saiu pela janela e ficou pendurado, fui ajudar ele e acabou me arranhando ao tentar subir a janela novamente. Depois de uns dois meses comecei a sentir uma fraqueza, dores no joelho, sem força nem de subir escada, e sempre tive uma vida saudável de treinos e pedalada, essa dores podem está associado ao arranhão do gato

    1. Dra. Célia Wada

      Ilza
      Boa noite
      Não sabemos se o animal é portador de alguma virose diferente
      Acredito que tenha que ir ao médico e fazer uma bateria de testes, principalmente ligados a doenças transnitidas por felinos além, é claro de um hemograma completo seu.
      Precisa ver o tipo de cansaço que está sentido, se está mesmo relacionado a esse acidente. O gatinho tinha esporotricose?
      Algumas patologias são silenciosas, esse que é o perigo. Muitas não são transmissíveis mas sempre é bom verificar…

  20. Luisa

    Boa noite, tudo bem?
    Meu namorado esta com esporotricose, existe risco de contaminação se eu encostar na ferida dele? Ou se eu encostar na ferida e depois encostar no olho sem querer… A ferida esta no braço então eu acabo encostando sem perceber. E se dormirmos na mesma cama, tem algum risco de contaminação? Muito obrigada pelos esclarecimentos, eu pesquisei muito a respeito e não encontro essas informaçoes

    1. Dra. Célia Wada

      Luisa
      Se quiser, fala comigo pelo whatsapp ou pelo e-mail, fica mais facil. Demoro para entrar nestas respostas…
      Basicamente, todas as micoses podem ser contagiosas, depende do tipo de divisão que o fungo apresenta. A pele íntegra é mais difícil de contaminar, muito difícil mas, mucosas são ambientes que os fungos adoram!
      Os riscos de contaminação existem e precisam ser verificados.Ele está medicado?
      Fez sorologia?
      Confirmou ser esporotricose?
      Vamos falando

  21. Cintia Soares

    Fui diagnosticada com esporotricose e fiz o tratamento de três meses, mas logo no primeiro mês sumiram todos os sintomas e a ferida totalmente fechada com um mês. Estou curada ? Não tenho nenhuma sintoma da doença.
    Minha gatinha foi resgatada das ruas já com a doença, não sei precisar a quanto tempo ela está contaminada. A ferida dela fechou 90% , ainda estou dando itraconazol de 100 a ela. Será que véu já posso parar de tomar com 3 meses de tratamento e nenhum sintoma depois de um mês ?

    1. Dra. Célia Wada

      CINTIA
      BOA NOITE
      sugiro que faça o exame tanto na sua gatinha para ver se a cultura ainda cresce e converse com seu medico. Sua recuperação realmente foi muito boa, mas precisa tomar toda dose que ele prescreveu. FALE COM ELE ANTES DE PARAR.
      Qualquer coisa, me mande e-mail fica mais facil muitas vezes não consigo entrar para responder aos comentários..
      abraços

  22. Paula

    Olá. Em julho meu gato ficou com a cara inchada e vermelha. O levei no veterinário aqui em Montevidéu e o medicaram con antialérgico e antibiótico supondo ser alergia. O levei em 3 veterinários, mandei fotos a outros vários que sempre diziam o mesmo e eu nunca me conformei com essa resposta. Ele começou a ter feridinhas na parte entre os olhos e a orelha e perder pelo também. E sempre lhe davam antibióticos, nunca nenhum fez QUALQUER tipo de exame. Aos poucos ele foi ficando mais quietinho e este fds ele começou a sangrar pelo nariz. O veterinário lhe aplicou coagulante por 3 dias e no 3º dia eu exigí que fizesse ao menos um exame de sangue. Ao pegar a veia, não saia o sangue de tão anêmico que ele tava. Rasparam a patinha traseira e estava quase preta, com trombose. A barriga com uma bolsa como se tivesse uma hemorragia interna. O veterinário nem deu bola pra isso! Só comentou: um hematoma… E seguiu pra outra perna. Fui a outro veterinário que apenas lhe deu soro e vitamina…no fim da tarde de segunda ele colapsou e morreu. Isso não era esporotricose que disseminou pelo corpo? Agora minha otra gatinha está con a orelha esquerda vermelha, a pontinha se dobrou. Ela tá decaída de energia e respirando como se estivesse gripada, espirrando bastante. Ela deve estar contaminada, não?
    A medicina no Uruguai é deprimente…

    1. Dra. Célia Wada

      vou te mandar por e-mail…não consigo responder por aqui…é muito longo
      As caracterisiticas da sua gatinha sugerem muitas coisa…só com exame você vai definir e tentar poder tratar. Fazer um hemograma é o primeiro passo. Ele ajuda muito. Pelos sintomas, precisaria afastar doenças imunosupressoras que muito comuns em felinos os exames que se faz são FIV/FeLV PIF PANLEUCOPENIA (caso acuse leucopenia no hemograma). e, também, HEMOBARTINELOSE que dá exatamente essa sintomatologia e é causada pela picada do carrapato…Me desculpe os palpites, não sou veterinária, sou microbiologista e infectologista e essas patologias estão ligadas no nosso dia a a dia… sem um hemograma, é impossível saber. A esporotricose é bem típica, mas, já em estagio avançado acaba tendo complicações por infecções secundárias por bactérias e complica até mesmo o tratamento..

  23. Kassia Leone Ignacio

    Primeiramente, obrigada pela matéria! Sou voluntária num abrigo para gatos bem precário aqui na cidade do Rio de Janeiro. Temos alguns animais com esporotricose e hoje fui arranhada na mão enquanto medicava um deles, que iniciou o tratamento há apenas 2 semanas. Então me dei conta de que não tenho orientação de como proceder nesses casos. Existe profilaxia pós-exposição? Higienizar o local da ferida com água e sabão é suficiente, ou eu poderia ter feito algo mais? Agradeço desde já o seu retorno!

    1. Dra. Célia Wada

      Kassia
      Higienizar com água e sabão ajuda bastante
      Se você tivesse acesso a algum local que tivesse óleo ozonizado, preconizamos esse uso
      Assim que ter sido arranhada ou mesmo, mordida, passar o óleo ozonizado depois de lavar bem e ir fazendo isso até a cicatrização
      Vai vendo se tem alguma outra manifestação e, caso apareça qualquer outro sintoma ou mesmo não cicatrize rapido, procure um medido.
      O SUS tem o tratamento…

  24. Ione Maria Medeiros dos Santos

    Estou com esporotricose meu gatinho m arranhou. Estou tomando itraconazol manhã e noite. Estou tendo mnt febre . Meu ferimenté pequeno. Já esta até secando. O tratamento só tem 15 dias. Moro em Cabo Frio. Teria como eu fazer o tratamento pela Fio Cruz . Pois estou sem trabalho. É a medicação é cara.

    1. Dra. Célia Wada

      Ione
      O Itraconazol é a medicação correta mas o IMPORTANTE é que você deve tomar itraconazol imediatamente após uma refeição pois esse medicamento atua melhor desta maneira
      As cápsulas devem ser tomadas inteiras com auxílio de água.
      A Secretaria Municipal de Saúde tem intensificado as ações de zoonoses para vigilância, prevenção e tratamento da esporotricose, conhecida também como “doença do jardineiro”. Acredito que aí no seu municipio tenha. Procure uma Unidade Basica de Saúde perto de você. A esporotricose é uma doença que está sendo muito enfatizada…temos muitos casos notificados…
      Quanto a Fiocruz, entra no link da Fiocruz e fala com eles, https://portal.fiocruz.br/fale-conosco
      Pode entrar também neste link da Fiocruz, que tem como encontrar um local perto da sua casa
      https://portal.fiocruz.br/servicos?search_api_views_fulltext=&field_tipo_de_servico_parents_all=All&field_taxonomia_localizacao_parents_all=All&field_taxonomia_doencas=7491&field_unidade_curso=All&sort_by=changed
      Fico a disposição

  25. Halana Barreto

    Olá Dra. Célia,
    Pude perceber que você tem um grande conhecimento sobre a esporotricose, eu estou em tratamento para esta doença terrível, já vai fazer 2 meses que as primeiras lesões começaram a aparecer, estou no itraconazol de 100mg 2 vezes ao dia vai fazer 1 mês , porém depois de uma pequena melhora tive uma grande piora, a ferida voltou a sair bastante pus e os nódulos no braço e estão bem avermelhados e agora e coçam, fui em um segundo médico que mandou ao invés de eu tomar o itraconazol 2 x ao dia mandou eu tomar os 2 comprimidos de uma vez no almoço e iniciou a cefalexina 500mg 4x aí dia. Gostaria de saber se essa piora é comum mesmo eu estando tomando o itraconazol há 1 mês?! E essa mudança no tratamento foi correta!? Pq já erraram tanto comigo nessa doença que estou com medo… e uma última dúvida, esse dermatologista agora mandou eu passar hidrogel no ferimento e fechar ele com gase e micropore, isso não vai piorar a ferida?! Tenho medo de deixar ele abafada, até agora sempre deixei sem nada abafando mas após a indicação dele comecei a fazer o curativo com hidrogel hoje . Por favor me ajude pois estou com medo da resistência desse fungo! Obrigada!!!

    1. Dra. Célia Wada

      Halana
      Ja falamos via e=mail
      Obrigada por mandar seu telefone, vou te ligar……

  26. Grazielle

    Olá , estou com Esporotricose tem um mês e 3 semanas de tratamento, não sinto mais tanta dor no braço. Aparentemente está diminuindo. Apareceu alguns outros caroços no vaso linfáticos. Será que corre o risco de eles abrirem também?
    Eu tenho fotos de como está a evolução depois que iniciei o tratamento. Gostaria de mandar para vocês ! Para que mais pessoas vejam como é a doença.

    1. Dra. Célia Wada

      GRAZIELLE
      BOA NOITE
      Com relação aos outros ganglios, muito provavelmente vão abrir mas, como sempre digo, DEPENDE do sistema imunológico da pessoa
      Seria interessante mande as fotos para meu e-mail para publicarmos
      aguardo e obrigada!

    2. Dra. Célia Wada

      GRAZIELLE
      BOA NOITE
      Quanto ao risco de abrirem, depende do sistema imunologico de cada paciente mas, muito provavelmente, irão abrir
      Seria MUITO interessante mandar as fotos no meu e-mail, e eu publico para que possa ajudar outras pessoas
      aguardo
      obrigada

  27. Michele

    Olá, Dra Célia
    Não tenho gatos e nenhum outro animal em casa, não sei como me me contaminei com essa doença, a esporotricose, os sintomas começaram no início do mês de maio de 2021, no início achei que tivessem sido picada por algum inseto na minha perna direita acima do calcanhar que foi evoluindo para uma ferida muito dolorosa, e com linfonodos na outra perna, no início tomei nimesulida e outros antibióticos, mas sem sucesso no tratamento, até que fui na dermatologista, que me disse que os sintomas era de esporotricose, comecei o tratamento com itraconazol 100mg 2x ao dia, a ferida secou só com esse remédio, ainda estou em tratamento que vai fazer 4 meses.
    Como posso ter me contaminado, se não tenho animais?

    1. Dra. Célia Wada

      MICHELE
      BOA NOITE
      Os fungos ficam em vários locais, não apenas em gatos contaminados. Geralmente adquire a infecção pela entrada do fungo na pele ou na mucosa e isso acontece por meio de um trauma decorrente de acidentes com espinhos, palha ou lascas de madeira, se o local tem o fungo e você tem uma lesão na pele (as vezes até um corte imperceptível ou, arranhadura ou mordedura de animais doentes, sendo o gato, como mencionei, o agente transmissor mais comum.
      entre neste link – tem explicações mais detalhadas para você ver…https://cmqv.org/11614-2/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *